Portal Revista Opinião

Wilson Martins reajusta em 32% o seu próprio salário e dos secretários

Matéria publicada em, 14 de setembro de 2011

O projeto de lei que aumenta os salários do governador Wilson Martins (PSB), do vice-governador Antonio José Moraes Souza Filho (PMDB) e dos secretários estaduais e outros integrantes do primeiro escalão do Governo será apreciado pela Assembleia Legislativa do Estado nos próximos dias. O projeto, de autoria do deputado estadual Kléber Eulálio (PMDB), foi apresentado ontem na Assembleia e prevê reajuste de 32% no salário do governador.

Com o aumento, o vencimento de Wilson Martins passa dos atuais R$ 12.308,00 para R$ 16.500,00, aproximadamente. Como os salários do vice e dos secretários são atrelados ao do governador, eles também serão beneficiados diretamente – o vice Antonio José de Moraes Souza Filho passa a ganhar R$ 14.850,00 e os auxiliares do primeiro escalão terão os salários majorados dos atuais R$ 8.700,00 para R$ 11.550,00 (ganham 70% do vencimento do chefe do Executivo).

O aumento do governador também resultará no reajuste dos vencimentos de categorias estaduais como os auditores fiscais e os delegados de Polícia Civil, prejudicadas pelo redutor salarial que limita os salários ao que ganha o governador. Segundo o deputado Kléber Eulálio, o reajuste salarial do governador foi sugerido pelo próprio Poder Executivo para resolver o impasse com categorias prejudicadas pelo redutor salarial. O Governo reduziu gratificações dessas categorias para evitar que os servidores ganhassem mais que o salário do governador, o que poderia implicar em improbidade administrativa.

Os auditores fiscais e delegados de Polícia Civil protestaram contra cortes nos vencimentos, que em alguns casos chegariam a R$ 2 mil, e prometeram ações judiciais para reaver os valores. O governo prometeu estudar o reajuste do chefe do Executivo como alternativa. “É um valor que foi acordado entre as categorias que estão sendo prejudicadas”, confirmou ontem Kléber Eulálio ao Cidadeverde.com. Antes da aplicação do redutor, a Secretaria de Administração estimou que cerca de 450 servidores ganhavam mais que o governador e seriam atingidos pelo corte nos vencimentos.

No início do ano, Wilson Martins já havia vetado reajuste do próprio salário para R$ 20.025, valor aprovado pelo Congresso Nacional. O aumento do governador havia sido aprovado na Assembleia Legislativa, mas ele decidiu continuar ganhando R$ 12 mil, justificando que o aumento do próprio salário teria um impacto muito grande nas contas públicas.

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO