Portal Revista Opinião

Vergonha brasileira: Corrupção

Matéria publicada em, 16 de setembro de 2011

Hoje ao sentar-me para escrever eram tantos os atores protagonistas e coadjuvantes, representando o mesmo personagem em filmes diferentes, que fiquei em dúvida ao escolher quem ganha o Prêmio Oscar de Maior Vergonha Brasileira: o Ministério do Turismo, com seu ex- ministro pagando o salário da empregada, do motorista e sua conta pessoal de Motel com dinheiro público, os policiais corruptos que assassinaram a juíza no Rio de Janeiro, o SUS deixando as pessoas morrerem sem atendimento defronte aos” Hospitais” Públicos…

Poderia eu, como psicóloga, estar escrevendo sobre transtornos mentais, relacionamentos, mas novamente me deparo com um conflito ético que faz parte do comportamento social. Não posso como cidadã brasileira me ausentar e me isentar do dever de escrever a respeito desse caos que abraça fortemente uma minoria de brasileiros, mas com uma importância ímpar, que domina e controla a sociedade e a nossa política de uma maneira corrupta e vergonhosa…

Nossa presidente, teoricamente, tenta colocar em prática alguns valores éticos, mas quando encontra os conchavos políticos acaba por assumir conduta de defesa e amenizar fatos gravíssimos. Como manter a integridade moral dessa maneira?

Parafraseando Martin Luther King, “O que mais preocupa não é o grito dos violentos, mas o silêncio dos bons”. Porque as pessoas que não concordam com o mundo dos desonestos, dos sem-caráter, dos sem-ética, praticam esse ensurdecedor silêncio? Porque nos calamos e nada fazemos?

Cabe aos brasileiros decidirem se continuarão aceitando pessoas públicas desviando dinheiro público para seus próprios “bolsos”, do mais desconhecido vereador aos cargos mais altos do comando brasileiro.

Continuar-se-ão assistindo todos os dias pessoas morrerem nas portas dos hospitais públicos por falta de atendimento, pessoas enfermas, com dor, sem que haja o menor respeito a sua dignidade, e a sua dor.

Crimes bárbaros, hediondos em nome da manutenção de quadrilhas de maus policiais, mafiosos que extorquem dinheiro da população.

Chega de dualidade moral, chega de corrupção ativa e passiva, enriquecimento ilícito, caciques políticos, dinheiro que não chega ao destino original, pessoas sofrendo, e chefes de igrejas “enriquecendo”. Cabe a nós brasileiros finalizar essa sodomia nos órgãos públicos e exigir uma mudança imediata dos gestores políticos inescrupulosos. Chega de silêncio. Precisamos GRITAR muito alto e acabar com isso, uma vez que a maioria do povo brasileiro é honesta.

Por Sueli Castillo, psicóloga e colunista de portais em Teresina


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO