Veja como votam os deputados piauienses no Processo de Impeachment da Presidente Dilma

Matéria publicada em, 12 de abril de 2016

Os dez deputados federais da bancada piauiense já sabem como votar, a exceção do deputado federal Júlio César (PSD) que ainda está indeciso, mas tem uma forte tendência a votar contra o processo que pede o impeachment da presidente Dilma Roussef (PT) esta semana em Brasília.

Três estão decididos que votarão a favor: Heráclito Fortes, Rodrigo Martins e Átila Lira (os três do PSB, partido que ainda não se decidiu nacionalmente). Os outros seis votarão contra. São eles, Assis Carvalho (PT), Iracema Portela (PP), Paes Landim (PTB), Rejane Dias (PT), Fábio Abreu (PTB) e Marcelo castro (PMDB).

Esses três últimos retomam suas cadeiras na Câmara dos Deputados numa missão de fazer o jogo virar em favor do governo. Rejane e Fábio voltam à câmara, não por desconfiarem dos suplentes Silas Freire (PR) e Mainha (PP), mas para terem a certeza de que o voto será contrário ao processo de impeachment.

Marcelo Castro é talvez uma das situações mais emblemáticas. O deputado, que hoje é Ministro da Saúde, indicado pelo PMDB, seu partido, está cada vez mais fiel à Dilma, mesmo com o anúncio do rompimento do seu partido com a presidente. No entanto, Dilma deu a garantia de que ele permanece ministro da Saúde, caso cumpra sua missão. E Marcelo não quer sair. Tanto que deixa o posto e volta após a votação na Câmara.

Saiba como vota a bancada do Piauí

Votam contra o impeachment:
1-Assis Carvalho (PT)
2-Iracema Portela (PP)
3-Paes Landim (PTB)
4-Rejane Dias (PT) – sai o 2º suplente da coligação governista Mainha (PP)
5-Fábio Abreu (PTB) – sai o 1º suplente da coligação governista Silas Freire (PR)
6-Marcelo castro (PMDB) – sai o 1º suplente da outra coligação Flávio Nogueira (PDT)

Votam a favor do impeachment:
7-Heráclito Fortes (PSB)
8-Rodrigo Martins (PSB)
9-Átila Lira (PSB)

Indeciso:
10-Júlio César (PSD)

VEJA COMO VOTAM OS DEPUTADOS PIAUIENSES:

VOTAÇÃO PIAUI

Da Redação                                   Fonte: oolho.com

 


Revista Opinião