Sob a lei da mordaça, servidores do H. N. S. do Livramento estão há 4 meses sem salários, denunciam vereadores

Matéria publicada em, 16 de dezembro de 2015

Funcionários do Hospital N. S. do Livramento, em José de Freitas-PI, estão com 4 meses de salários atrasados e não podem reclamar, afirmam vereadores

Vereadores Alfredo Holanda e Claudomires denunciam 4 meses de atraso de salários dos funcionários do Hospital
Vereadores Alfredo Holanda e Claudomires denunciam 4 meses de atraso de salários dos funcionários do Hospital

A denúncia ocorreu durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de José de Freitas desta terça-feira, 15 de dezembro de 2015 e partiu dos vereadores Alfredo Holanda (PHS) e Claudomires Nascimento (PV).

Os parlamentares usaram a tribuna da casa para denunciar o atraso no pagamento dos salários e ainda informar que os trabalhadores são obrigados a ficarem calados.

Alfredo Holanda disse que dezenas de funcionários do Hospital Municipal Nossa Senhora do Livramento estão insatisfeitos por já estarem com quatro meses de salários atrasados. Segundo o vereador, uma Folha de Pagamento foi encaminhada para o Hospital para que se procedesse o pagamento dos funcionários, porém, sem justificativa alguma, os papéis foram recolhidos e o pagamento não foi feito.

“É uma tristeza. Nós sabemos que hoje é quinze de dezembro e os funcionários do hospital não sabem quando vão receber seus salários atrasados”, lamentou o vereador.

Em um aparte, o vereador Claudomires disse que esteve pessoalmente nesta terça no Hospital Nossa Senhora do Livramento e ouviu dos próprios funcionários a confirmação de que estão entrando no quarto mês sem receber seu proventos. Segundo ele, os servidores são amedrontados, ameaçados e coagidos a não se pronunciarem sobre o assunto. “Não pode falar com vereador, não pode questionar, não pode denunciar. Realmente é lamentável essa situação. José de Freitas ao invés de progredir, está voltando ao tempo da ditadura, da opressão e do medo. As pessoas tem medo de conversar com vereador e buscar seus direitos”, afirmou.

Da Redação                      Fonte e imagens: realidadeemfoco.com.br


Revista Opinião