Portal Revista Opinião

Sessão da Câmara é toda voltada sobre matéria divulgada no revistaopiniao.com e secretária é convocada a prestar esclarecimentos

Matéria publicada em, 24 de novembro de 2011

Aconteceu na noite desta terça-feira, dia 22 de novembro, mais uma sessão da câmara municipal de José de Freitas. Pela primeira vez, desde que o Portal revistaopiniao.com passou a acompanhar os trabalhos do legislativo, uma sessão durou mais de uma hora (das 20h12min às 21h50min). Durante a reunião semanal dos vereadores, os ânimos se acaloraram em torno do pedido de afastamento da Secretária de Educação Maria Antônia e de suas declarações em posterior entrevista a este portal.

Estudantes presentes na sessão

 

Durante a sessão, os vereadores se mostravam indignados e afoitos com as possíveis irregularidades na administração municipal, preocupação que deveriam ter sempre, durante os quatros anos de seus mandatos, afinal é pra isso que são eleitos, para representar o povo, fiscalizando e dando transparência à aplicação de recursos públicos pelo executivo.

No entanto, não fizeram o mesmo com a reportagem, também divulgada pelo revistaopiniao.com no dia 09 de novembro, que denunciou a farra com o dinheiro público e o nepotismo na câmara municipal de José de Freitas, onde a maioria dos vereadores (já que de dois deles, não foi possível identificar se as pessoas que constam como seus assessores são seus parentes, devido a pouca ligação destes vereadores com o município), tem como assessores  esposas, filhos, enteados, sobrinhos e outas pessoas, que nunca pisaram naquela casa, mas, todo mês recebem R$ 1.165,00 de salário. Para lembrar, o nepotismo é proibido pela Constituição Federal e durante muito tempo foi combatido pela mídia nacional e, mesmo assim, os vereadores de José de Feitas continuaram cometendo essa irregularidade.

Na sessão desta terça-feira o auditório da câmara ficou lotado, com as presenças de vários cidadãos que sempre comparecem às sessões, fiscalizando o legislativo municipal. Além destes, alunos e funcionários das escolas da Ema e do IEVEC se fizeram presentes, mostrando o despertar para a cidadania destas escolas e seus estudantes.

Durante a sessão, o vereador Paraguaçu apresentou requerimento junto à mesa diretora pedindo a intervenção do Ministério Público Federal para investigar as supostas irregularidades denunciadas pela Secretária de Educação do município.

O vereador Humberto Teles usou a tribuna para dizer que as eleições municipais de 2012 foram antecipadas, afirmando que os melhores serão os eleitos e que toda ação tem uma reação, recomendando que a secretária seja convocada para prestar esclarecimentos na câmara, por ter citado dois vereadores daquela casa em sua entrevista a este portal.

O vereador José Luis Pereira usou a tribuna e fez a leitura na íntegra da matéria divulgada no portal. Ao final, disse que nunca pisou os pés na sala da secretária de educação e, se alguém provar o contrário, renunciará seu mandado de vereador.

Ao final ficou aprovado a convocação da secretária de educação do município para a próxima sessão, dia 29/11/2011, terça-feira, onde deverá esclarecer as declarações feitas.

No entanto, fica a pergunta: ‘por que os vereadores não se pronunciaram da mesma forma sobre as irregularidades cometidas por eles próprios (comprovadas com farta documentação conseguida pelo comerciante Marquin do Frago, junto ao TCE), com a prática de nepotismo e pagamento de salários gordos aos seus parentes que nunca prestaram um dia de serviço naquela casa?’ Será se querem tirar o foco do escândalo cometido por eles?

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO