Servidores municipais saem às ruas de José de Freitas em protesto contra irregularidades na prefeitura

Matéria publicada em, 10 de julho de 2014

Após uma assembleia geral extraordinária realizada na sede do Sindicato dos Servidores Municipais de José de Freitas – SISMUJOF – na manhã desta quinta-feira (10/07/14), servidores municipais de várias categorias saíram às ruas de José de Freitas com faixas e cartazes pedindo melhorias na administração municipal.

Os servidores decidiram não reiniciar as aulas, que estão previstas para o dia 28/07, caso não fossem recebidos pelo prefeito e atendidos em suas demandas. Dentre as reivindicações, estão o repasse das contribuições previdenciárias dos servidores ao fundo JFreitas-PREV, a implantação do plano de cargos, carreira e salários dos servidores administrativos, e o rateio dos recursos da complementação do FUNDEB 2013 recebidos pela prefeitura em maio deste ano, e que não foi repassado aos servidores.

Leia também: Dinheiro extra: município de José de Freitas recebe mais de 1,3 milhões de complementação do Fundeb 2013

A presidente do sindicato municipal, professora Maria das Graças, reclamou do número excessivo de prestadores de serviços na educação. Segundo ela, o prefeito Josiel Batista contratou cerca de 700 bolsistas, entre professores, vigias, administrativos e zeladores desde o início de sua gestão, onerando a folha.

2

Segundo a professora Creuza Vasconcelos, os recursos do Fundeb estão sendo desviados de suas funções. A professora e sindicalista disse que o prefeito Josiel Batista está usando dinheiro do fundo educacional para pagar servidores que prestam serviços em outros órgãos e secretarias, como no Fórum de Justiça, na banda de música, na delegacia, e até na cidade de Lagoa Alegre.

34

Da Redação                                                                                                   Imagens: Luis Silva


Revista Opinião