Secretária municipal de educação vai à câmara e confirma quase todas as denúncias feitas em entrevista ao revistaopiniao

Matéria publicada em, 4 de dezembro de 2011

Na última sessão da câmara municipal de José de Freitas, ocorrida no dia 29 de novembro, terça feira, o plenário daquela casa ficou lotado. Tudo porque naquela sessão se faria presente a secretária de educação da cidade, professora Maria Antônia Saraiva Monte, que nos últimos dias havia descoberto indícios de interferência de terceiros nos recursos de sua pasta, sem a sua autorização ou conhecimento, o que a levou a pedir exoneração do cargo, tendo ficado afastada por cerca de uma semana e reassumindo novamente após conversa com amigos e com o próprio prefeito.

Secretária confirmando suas denúncias no Plenário da Câmara

 

A professora Maria Antônia revelou tudo que sabia através de uma entrevista neste portal, concedida no dia 18 de novembro, e que causou grande repercussão na cidade. De posse das informações divulgadas pelo revistaopiniao.com os vereadores convocaram a secretária para confirmar as denúncias diante do plenário da Câmara Municipal. No dia e horário marcado lá estava a professora Maria Antônia na tribuna da casa, perante os nove vereadores e o plenário lotado de cidadãos livramentenses, curiosos para ouvir de sua própria boca as pesadas denúncias feitas por ela.

Plenário da câmara lotado

 

Mostrando coerência e firmeza, a professora Maria Antônia confirmou todas as denúncias feitas ao revistaopiniao.com, (exceto a de que lhe fora oferecido pelo Superintendente de RH, Diógenes Pinto, dobrar a DAM dela e colocar extras no contracheque de seu filho), mesmo com o plenário ocupado, em grande parte, por assessores do prefeito, que torciam pela negativa das denúncias. O detalhe é que entre os presentes na plateia estava o tesoureiro geral da prefeitura Edimilson Viana (Edimilson Rosendo), um dos principais citados pela professora.

Diante da confirmação das declarações, o esperado era que os vereadores encaminhassem as denúncias para a polícia federal (por se tratar de recursos federais), atendendo a vontade do povo ao qual eles representam. Mas, pasmem, contrariando a vontade de todos, os vereadores votaram pelo arquivamento das denúncias, em uma votação de 5 votos a 2, a favor do arquivamento, e, com isso, se deram por satisfeitos. Contudo, o vereador Paraguassu se comprometeu em formular a denúncia na PF.

De produtivo em tudo isso, só a verdadeira face da Câmara Municipal de José de Freitas, que ficou às claras para todo o povo da cidade, onde se percebeu que naquela casa não há capacidade para fiscalizar os atos do executivo municipal, muito menos para elaborar projetos de interesse da comunidade. O que há, é, sim, um jogo de interesses pessoais em prol da manutenção de uma carreira política duradoura, por isso estão sempre do lado dos prefeitos, independentemente de quem seja e de como administre, tudo para garantir a reeleição e se manterem no poder, indo contra os interesses da sociedade.

Da Redação


Revista Opinião