Portal Revista Opinião

SAÚDE: Conselho diz que álcool gel é eficaz na prevenção do coronavírus

Matéria publicada em, 29 de fevereiro de 2020

O Conselho Federal de Química (CFQ) garante que o uso de álcool gel para higiene das mãos como prevenção ao coronavírus é eficaz e criticou a disseminação de fake news por meio de um vídeo com informações    incorretas divulgadas por um “químico autodidata”.

Em nota assinada pelo presidente do CFC, José Ribamar Oliveira Filho, a instituição esclarece que o álcool etílico (etanol) é um eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico de pele. “Para este propósito, o grau alcoólico recomendado é 70%, condição que propicia a desnaturação de proteínas e de estruturas lipídicas da membrana celular, e a consequente destruição do microrganismo”.

Segundo a entidade, o etanol age rapidamente sobre bactérias vegetativas (inclusive microbactérias), vírus e fungos, sendo a higienização equivalente e até superior à lavagem de mãos com sabão comum ou alguns tipos de antissépticos.

A entidade lembra que a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu uma orientação sobre a eficácia da utilização de álcool gel como medida preventiva e mitigatória ao Covid-19, tanto nos setores da saúde quanto para a comunidade em geral.

O Ministério da Saúde recomenda como medidas de prevenção ao novo coronavírus:

Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool quando a primeira opção não for possível; evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; evitar contato próximo com pessoas doentes; ficar em casa quando estiver doente; usar um lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descartá-lo no lixo após o uso;  não compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal; limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Outros cuidados importantes são manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar. Segundo  Ministério da Saúde, não há nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

Fonte: VIAGORA

 


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO