Portal Revista Opinião

Sarney e Collor não querem revelar segredos de seus mandatos, diz OAB

Matéria publicada em, 14 de junho de 2011

Presidente da OAB, Ophir Cavalcante

Ophir Cavalcante, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), criticou nesta terça-feira, 30, a decisão da presidente Dilma Rousseff de mudar o projeto da lei de acesso à informação pública. Atendendo a pedidos dos ex-presidentes José Sarney (PMDB-AP)e Fernando Collor de Mello (PTB-AL), hoje senadores, o novo projeto permitirá que os documentos permaneçam em segredo por tempo indefinido. Houve também lobby do Ministério da Defesa e do Itamaraty para a mudança do projeto.

De acordo com nota da OAB, Ophir recebeu a decisão do governo com perplexidade, já que a posição do PT sempre foi a favor da abertura dos arquivos. ‘Lamento que o recuo de Dilma esteja ocorrendo em razão de pressões pessoais por parte dos ex-presidentes da República José Sarney (PMDB-AP) e Fernando Collor de Melo (PTB-AL), que não querem revelar documentos secretos de seus mandatos’, disse.

Para Ophir, esse recuo do governo, com o sigilo dos arquivos, pode indicar uma manobra para que em um futuro próximo não sejam divulgados os arquivos e documentos das duas gestões de Lula. Segundo o presidente da OAB, a afirmação de Sarney de não reabrir feridas do passado deve ser rechaçada. ‘A história precisa ser conhecida e não tenho dúvidas de que quem perderá com isso tudo será a cidadania deste país, que terá vetada a possibilidade de acessar a sua história’.

Fonte: msn


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO