Portal Revista Opinião

Rosberg sobra no GP da Austrália; Massa fica na primeira curva

Matéria publicada em, 16 de março de 2014

Como já era previsto, o GP da Austrália provou a superioridade da Mercedes na primeira prova da temporada 2014 da Fórmula 1. O papel de protagonista da corrida disputada em Melbourne, entretanto, foi trocado em cima da hora. Em vez do pole position Lewis Hamilton, que abandonou após quatro voltas, coube a Nico Rosberg monopolizar as atenções no circuito de Albert Park. Após uma largada ousada, o alemão tirou a liderança do companheiro de equipe para sobrar na prova. Com o triunfo, Nico repete o feito do pai, Keke Rosberg, vencedor do GP da Austrália de 1985, realizado em Adelaide.

Rosberg liderou a prova com folga e repetiu, 29 anos depois, o feito do pai ao vencer na Austrália (foto: Agência AFP)

Rosberg liderou a prova com folga e repetiu, 29 anos depois, o feito do pai ao vencer na Austrália (foto: Agência AFP)

Após colocar a RBR na primeira fila do grid e mostrar que a atual tetracampeã não está totalmente fora da disputa pelo campeonato, o “anfitrião” Daniel Ricciardo conseguiu deter a ofensiva do novato Kevin Magnussen, da McLaren, e assegurou o segundo lugar e sua estreia no pódio. A equipe austríaca só não teve mais motivos para comemorar porque Sebastian Vettel abandonou o RB10 ainda na quinta volta. Com o dinamarquês Magnussen em terceiro, a McLaren voltou a frequentar o pódio após um longo jejum de 19 corridas. De quebra, o time inglês emplacou Jenson Button na quarta posição e assumiu a liderança do campeonato, com 27 pontos.

A corrida para Massa acabou na primeira curva

A corrida para Massa acabou na primeira curva

Corrida de Massa termina na primeira curva

Uma trapalhada de Kamui Kobayashi frustrou as expectativas pela estreia de Felipe Massa na temporada 2014. O dia começou promissor para o piloto da Williams, já que a chuva não chegou ao Albert Park, e a pista seca poderia contribuir para um bom desempenho do novo carro. Na primeira curva, a Caterham do japonês acertou em cheio o FW36 do brasileiro, que saiu do cockpit inconformado com as circunstâncias do acidente. O “showman” se desculpou pelo episódio em um perfil nas redes sociais, mas Felipe ressaltou que pretende cobrar da FIA uma punição severa para o adversário. Entretanto, a direção da prova determinou que Koba não teve culpa, e avaliou que a batida foi ocasionada por uma falha no sistema de freios do carro.

Na ausência de Felipe, a Williams apostou todas as fichas no finlandês Valtteri Bottas, que largou da 15ª posição por causa de uma punição por ter trocado o câmbio no treino classificatório. Conseguindo explorar bem a potência do motor Mercedes, Bottas já partia para cima da Ferrari de Fernando Alonso quando abusou da confiança e tocou a roda direita no muro, perdendo um pneu traseiro. A empolgação do companheiro de Felipe Massa lhe custou uma ida para os boxes e provocou a entrada do safety car na pista.

Mas o piloto de 24 anos foi para os boxes, trocou o pneu e iniciou uma bela escalada em busca dos primeiros pontos da Williams no campeonato. O finlandês voltou na 16ª posição e começou o ataque ferrenho aos adversários. Uma das ultrapassagens mais arriscadas foi sobre o compatriota Kimi Raikkonen, da Ferrari. O estilo aguerrido funcionou, e Bottas conseguiu chegar ao fim com um satisfatório sexto lugar.

Ricciardo é punido

Os australianos fizeram uma festa inesquecível neste fim de semana em Melbourne. No sábado, vibraram com o surpreendente desempenho de Daniel Ricciardo, que por pouco não fez a pole position. No domingo, celebraram a segunda colocação do piloto da RBR, novo xodó do país. Era o primeiro pódio de um australiano em casa na história da Fórmula 1. O sorridente piloto não escondia a felicidade ao subir no pódio pela primeira vez. Uma festa inesquecível, mas em vão. Uma hora depois do fim da prova, os comissários da FIA anunciaram que estavam investigando possíveis irregularidades no sistema de fluxo de combustível da RBR. Quase cinco horas depois, o veredicto: Ricciardo foi desclassificado. A escuderia austríaca até tentou apelar, mas a direção de prova não aceitou as explicações. Com isso, na prova vencida por Nico Rosberg, da Mercedes, o dinamarquês Kevin Magnussen passou para a segunda posição em sua estreia e seu companheiro de McLaren, Jenson Button, subiu para terceiro, somando um pódio a sua carreira, mesmo sem participar da cerimônia de premiação.

Vettel e Hamilton abandonam

Apesar de Mercedes e RBR ocuparem os lugares mais altos do pódio, as contrapartes de Nico Rosberg e Daniel Ricciardo não tiveram muito o que fazer no Albert Park. O pole position Hamilton deixou a prova ainda na quarta volta. Vettel tomou o rumo do paddock pouco depois. Os problemas com o carro do tetracampeão já eram conhecidos desde o início da pré-temporada, mas o monoposto de Hamilton ostentava um retrospecto de boa confiabilidade. Por causa dos abandonos, as duas equipes acabaram ofuscadas pela McLaren no ranking do Mundial de Construtores.

Outra “tragédia anunciada” que se confirmou em Melbourne foi o E22 da Lotus. O chamativo carro de bico duplo assimétrico deixou Romain Grosjean e Pastor Maldonado na mão. A dupla já havia sido prejudicada pelos problemas no bólido durante o treino classificatório. Na intenção de promover alguns ajustes, a equipe inglesa descumpriu a regra do Parque Fechado, e Grosjean precisou largar dos boxes. O companheiro venezuelano saiu da última fila, e só conseguiu percorrer 29 voltas neste domingo.

Magnussen supera pai na primeira corrida

Os testes da pré-temporada apontaram o jovem Kevin Magnussen como um dos mais promissores da nova geração. E o dinamarquês de 21 anos provou que tem talento de sobra para contribuir com a nova fase da McLaren. Bastou uma corrida para que Kevin superasse o melhor resultado de seu pai na Fórmula 1. O veterano Jan, atualmente com 40 anos, disputou 25 corridas entre as temporadas 1995 e 1998, e teve um sexto lugar como ápice da carreira. Com o terceiro lugar em Melbourne, Kevin ficou à frente do companheiro de equipe, Jenson Button, e contribuiu para colocar a McLaren na liderança do Mundial de Construtores.

Ferrari tem início discreto

Não foi desta vez que os fãs puderam conferir o tão anunciado “duelo” entre os campeões mundiais Fernando Alonso e Kimi Raikkonen. O espanhol conseguiu defender a quinta posição conquistada no classificatório, enquanto o finlandês aproveitou os abandonos de Vettel, Hamilton e Massa para subir do 11º para o 8º lugar. Apesar de garantir sua presença na zona de pontuação, Kimi continua sofrendo com o novo freio eletrônico, chegando a travar as rodas em momentos decisivos da disputa.

Próxima etapa do campeonato

A Fórmula 1 segue agora para a Malásia. Os carros desembarcam no circuito de Sepang, em Kuala Lumpur, para a segunda etapa da temporada. A corrida está marcada para o dia 30 deste mês.

Confira o resultado do GP da Austrália:

1. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1h32m58s710
2. Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault): +24s525
3. Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes): +26s777
4. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes): +30s027
5. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): +35s284
6. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes): +47s639
7. Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes): +50s718
8. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari): +57s675
9. Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Renault): +1m00s441
10. Daniil Kvyat (RUS/STR-Renault): +1m03s585
11. Sergio Perez (MEX/Force India-Mercedes): +1m25s916
12. Adrian Sutil (ALE/Sauber-Ferrari): +1 volta
13. Esteban Gutierrez (MEX/Sauber-Ferrari): +1
14. Max Chilton (ING/Marussia-Ferrari): +2
15. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Ferrari)*: +8

* Não se classificou

Não completaram:

Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault): 43 voltas
Pastor Maldonado (VEN/Lotus-Renault): 29
Marcus Ericsson (SUE/Caterham-Renault): 27
Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault): 3
Lewis Hamilton (ING/Mercedes): 2
Kamui Kobayashi (JAP/Caterham-Renault): 0
Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes): 0

Mundial de Pilotos:

1.  Nico Rosberg: 25 pontos
2.  Daniel Ricciardo: 18
3.  Kevin Magnussen: 15
4.  Jenson Button: 12
5.  Fernando Alonso: 10
6.  Valtteri Bottas: 8
7.  Nico Hulkenberg: 6
8.  Kimi Raikkonen: 4
9.  Jean-Eric Vergne: 2
10.  Daniil Kvyat: 1

Mundial de Construtores:

1.  McLaren/Mercedes: 27 pontos
2.  Mercedes: 25
3.  RBR/Renault: 18
4.  Ferrari: 14
5.  Williams/Mercedes: 8
6.  Force India/Mercedes: 6
7.  STR/Renault: 3

Fonte e imagens: G1


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO