Quinto dia de protestos dos estudantes em Teresina

Matéria publicada em, 6 de janeiro de 2012

Atualizada às 15h44
O grupo libera o cruzamento da Frei Serafim com a rua Goiás e estão se dirigindo para Ponte Juscelino Kubitscheck, naquela região o tráfego está totalmente bloqueado, pois os manifestantes ocuparam as duas vias da ponte. A polícia continua acompanhando de longe e até o momento não houve nenhuma reação.

Atualizada às 15h37
Estudantes que protestam na Avenida Frei Serafim ocupam agora o cruzamento com a rua Goiás, muitos ainda permanecem nas proximidades do Banco do Brasil, mas a maioria segue em direção da Ponte Juscelino Kubitscheck, parando os cruzamentos.

Atualizada às 15h24
Os manifestantes decidem mais uma vez seguir pela Frei Serafim, e agora pretendem bloquear a Ponte Juscelino Kubitscheck. Um grupo menor está mais adiantado, mas pretendem juntar-se no caminho.  Parte do tráfego foi liberado na avenida.

Atualizada às 15h16
Os estudantes ainda não conseguiram outro carro de som, mas continuam no cruzamento sob um sol de 35º. O tráfego de veículos está interrompido, mas agentes da Strans tentam aos poucos liberar. Muitos se aglomeram debaixo das árvores do canteiro central. Em alguns momentos foram ouvidos barulhos de explosões, que segundo informações são fogos de artifício jogados por alguns manifestantes.

Atualizada às 14h58
Os manifestantes estão agora novamente no cruzamento da avenida Frei Serafim com a rua Coelho de Rezende, o carro de som contratado pelo manifestantes só aceitou ficar duas horas do protesto, que encerrou neste momento, e eles procuram outro, mas até o momento não conseguiram. Agentes da RONE, Canil, GTAP, GATE e BOPE estão no local caso ocorro alguma eventualidade, mas até agora não foi necessário.

Atualizada às 14h28
Os estudantes saem do cruzamento da Avenida Miguel Rosa com a Frei Serafim. O ônibus que alguns radicais ameaçaram incendiar foi liberado. A Tenente-Coronel Júlia Beatriz, negociadora da Polícia Militar chega ao local, o RONE acompanha de longe.

“Não vamos aceitar membros do movimento andarem encapuzados, se quiserem se manifestar, tem todo direito, até com o rosto pintando, mas com a cara coberta não, será preservada a integridade dos estudantes, mas tem que garantir o direito de ir e vir dos motoristas”, disse a militar.

Atualizada às 14h17
Neste momento os manifestantes cercaram um ônibus da empresa Asa Branca no cruzamento das avenidas Frei Serafim com Miguel Rosa. Todos os passageiros já desceram. O clima é tenso e pode acontecer de mais um ônibus queimado no protesto.

Atualizada às 13h58
Os estudantes ocupam mais uma vez a frente do Banco do Brasil da Frei Serafim, cantam músicas de protesto e fazem apicaço. Parte do tráfego na avenida volta ao normal, exceto no cruzamento com a Pires de Castro e na via que ocupam.

Atualizada às 13h42
O tráfego de veículos está bloqueado na região da Frei Serafim, agentes da Strans tentam organizar os manifestantes para que ambulância possa furar o bloqueiam. Estudantes protestam no microfone do carro de som, uma viatura do RONE se aproxima dos estudantes.

Atualizada às 13h32
Neste momento cerca de mil manifestantes estão no cruzamento da Avenida Frei Serafim com a rua Coelho de Rezende, o canil da Polícia Militar acompanha o manifesto de longe, mas a cavalaria se aproxima.

Atualizada às 13h
Os manifestantes já saíram da concentração e tomaram as ruas. Neste momento voltam a fechar um dos lados da avenida Ferei Serafim, depois de passarem pelo Palácio de Karnak aos gritos e com protestos contra o prefeito Elmano Ferrer e contra o SETUT.

QUINTO DIA DO MOVIMENTO
O quinto dia de manifestações #Contra_O_Aumento nesta sexta-feira (05/12) começou com uma reunião da cúpula da segurança pública do estado do Piauí, na sede da Secretaria de Segurança, estiveram reunidos o secretário estadual de segurança Raimundo Leite, o coronel Albuquerque, comandante de policiamento da Capital, a Coronel Júlia, coordenadora do gerenciamento de crises da Pm, o coronel Marcio, comandante do BOPE, entre outros.

Eles analisaram vídeos dos atos que consideraram como vandalismo no dia anterior, identificaram possíveis responsáveis e juntamente com o serviço de inteligência da polícia marcaram os líderes do movimento. Decidiram que não serão aceitas aglomerações no centro do de Teresina como aconteceu nos dias anteriores, parando o trânsito da capital.

Mesmo assim, estudantes reúnem-se mais uma vez para manifestar contra o aumento das passagens de ônibus na capital, que passou de R$ 1,90 para R$ 2,10 na ultima segunda-feira (02/12) além da integração implantada, que não atende as necessidades dos teresinenses. No quinto dia de protestos, mais uma vez os estudantes não descartam a possibilidade de partirem para o confronto.

Aglomeram-se na Praça do Fripisa desde as 9h, e apesar da informação da polícia de que não vai tolerar nenhum tipo de manifestação, eles afirmam que vão continuar com o movimento até que haja negociação com a prefeitura.

Juntamente com entidades sociais, esse foi o dia em que mais pessoas se reuniram na praça, e assim como no quinto dia da manifestação de setembro de 2011, uma sexta-feira, esse promete ser o mais abrangente, tanto em ações dos manifestantes, quanto da polícia.

Fonte: 180graus

 

 


Revista Opinião