Promotores são afastados de comissão que investiga Deputados do Piauí

Matéria publicada em, 24 de janeiro de 2012

Três promotores de Justiça foram exonerados do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado por discordar da decisão da Procuradoria Geral de Justiça do Piauí. Os três promotores e o sub procurador Alípio Santana decidiram ingressar com ação em Brasília para impedir que a investigação na Assembleia Legislativa do Estado seja transferido para a Polícia Civil.

Zélia Sampaio - Procuradora Geral de Justiça-PI

 

A decisão causou impasse. A Procuradoria não concordou com a decisão e os promotores resolveram pedir demissão em massa. A argumentação dos promotores é que a Polícia Federal tem mais estrutura e imparcialidade para investigar os deputados estaduais supostamente envolvimentos em irregularidades.

A PF estava apurando denúncias de movimentações financeiras consideradas “atípicas” no valor de R$ 120 milhões no ano de 2008 na Assembleia do Piauí. O inquérito foi parado por decisão da justiça. Após recursos, o Tribunal de Justiça do Piauí decidiu transferir da PF para a Polícia Civil investigar. O grupo, que acompanhou o caso, não concordou com a liminar e iria recorrer da decisão.

Foram exonerados do grupo, os promotores Silas Sereno Lopes, Ana Isabel de Alencar Mota Dias e Galeno Aristóteles Coelho de Sá.

Fonte: cidadeverde


Revista Opinião