Durante reunião professores denunciam uso de drogas e violência dentro de escola em José de Freitas

Matéria publicada em, 2 de abril de 2019

Por Chagas Silva

Aconteceu no final da tarde da última segunda-feira, 01 de Abril/2019, em uma sala da escola Levi Carvalho, pertencente a rede Municipal de ensino, localizado na Avenida Governador Lucídio Portela, Bairro Matadouro em José de Freitas, uma reunião onde foi deliberado em pauta a violência e consumo de drogas, dentre outros problemas dentro do prédio da própria unidade Escolar.

A reunião envolveu Professores e demais funcionários da referida escola, e contou com a presença de representantes da Secretaria Municipal de Educação, SEMED, Guarda Municipal, Conselho Municipal de Educação, Sindicato dos Servidores Municipais e Conselho Tutelar da Criança e Adolescente. Após relatos da atual problemática que os funcionários da escola vem enfrentando, todos opinaram no sentido de encontrar uma solução.

Na oportunidade os Professores que lecionam na Unidade Educacional, Levi Carvalho, relataram as dificuldades que estão encontrando para trabalhar na escola, por conta do péssimo comportamento de alguns alunos, que chegam a ameaçar e desrespeitar os profissionais da educação durante as aulas.

No decorrer da reunião, também foi abordado a questão do consumo de entorpecentes nas dependências da escola, se tornando o maior problema do local, fato este, que vem gerando alguns casos de violência e ameaças sobre tudo para os professores que se sentem ameaçados, intimidados e temem represálias após tomar algum tipo atitude mais rígidas para disciplinar o aluno e manter a ordem na escola, visando o bom andamento da aula.

Segundo informações colhidas pela reportagem do Revista Opinião, a escola funciona com alunos do ensino fundamental normal e EJA (Ensino para Jovens e Adultos), porém um grupo de alunos do EJA, oriundo de outras escolas, com um histórico inclusive criminal, são os responsáveis por promover toda desordem no local, chegando a comprometer o aprendizado dos alunos que querem estudar e ser alguém no futuro.

Após as agressões sofridas pela Coordenadora, Nazareth, que foi agredida por uma aluna que responde na Justiça de José de Freitas pelo o crime de homicídio, e a suspeita de possíveis novos ataques contras os professores, a Secretaria Municipal de Educação, reforçou a segurança na escola, e colocou um segurança particular para ajudar a manter a ordem no colégio, fato este, que vem amenizando o problema e garantindo a segurança do corpo docente da escola.

A Coordenadora Nazareth, que foi sofreu as agressões dentro da escola, relatou que está com sequelas físicas e psicológicas. Segundo ela, não recebeu nenhum tipo de amparo da Secretaria Municipal de Educação, e pretende entrar com uma ação na Justiça contra o Município, requerendo uma indenização.

Após a reunião, os representantes da SEMED (Secretária Municipal de Educação), informaram que o caso será levado para Secretária Amparo Holanda e equipe, tomar as providências cabíveis, para resolver o problema. Já o comandante da Guarda Municipal, GM Lancaster, declarou que, á exemplo do que já vem fazendo em outras escolas do Município, também irá reforçar o patrulhamento da Guarda Municipal no entorno e na área interna da escola, para inibir qualquer tipo de ação criminosa.


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO