Por mais segurança, população faz passeata pelas ruas de José de Freitas

Matéria publicada em, 3 de junho de 2014

No final da tarde desta terça-feira, 03 de junho de 2014, centenas de pessoas, a maioria pilotando motos, realizaram uma passeata pela ruas da cidade de José de Freitas-PI, reivindicando uma melhor prestação de serviços pelo Estado. As principais reivindicações foram por segurança pois, segundo os organizadores, tem aumentado bastante os índices de violência no município, que conta atualmente com cerca de 40 mil habitantes e pouquíssimo contingente policial, muito aquém do necessário.

imagem: realidademfoco
imagem: realidademfoco

Juntaram -se no protesto muitos mototaxistas, professores, sindicalistas, estudantes e população em geral. O ato foi acompanhado de perto por viaturas da polícia militar, comandadas pelo Capitão Augusto. A manifestação também relembrou as recentes mortes violentas ocorridas no município de José de Freitas: a do professor José Wellington, morto no sábado, dia 17 de maio, tendo o corpo sido encontrado apenas no dia 20 num lixão da cidade e onde um menor é tido como o principal acusado pelo crime, e a morte do mototaxista Manoel Filho, o “Chambira”, morto com onze facadas na madrugada da última sexta-feira, 30 de maio, cujo corpo ficou jogado dentro do mato às margens de uma rua que dá acesso do centro ao bairro Ipiranga, em José de Freitas-PI.

“A população se sente insegura dentro de sua própria casa. Não podemos viver enjaulados com os papéis invertidos, com os bandidos soltos e as pessoas trabalhadores presas em suas residências com medo de sair de casa”, disse a professora da rede municipal, Socorro Cruz, quando participava do protesto.

Imagem: realidademfoco
Imagem: realidademfoco

O sindicalista Francisco Sousa pediu seriedade às autoridades quanto á questão da segurança pública. Ele disse que as autoridades precisam parar de brincar que estão interessadas em fazer segurança. Sousa disse que quer policiamento na cidade todos os dias do ano e não ‘aquele jogo pra plateia’ em praça pública onde se prometeu muita coisa e nada se cumpre, referindo-se a uma reunião com o alto comando da Polícia Militar do Piauí e autoridades municipais, inclusive com a presença do prefeito municipal Josiel Batista, realizada na praça principal da cidade após a morte do professor José Wellington, que repercutiu muito na imprensa estadual. Sousa pediu ainda a efetivação do Conselho Municipal de Segurança Pública, onde, segundo ele, dará mais liberdade de atuação da população para acompanhar os processos criminais nos foros em que estiverem tramitando.

“Atualmente o medo, a insegurança, a revolta tomou conta da sociedade freitense, mas nós não podemos por a culpa só na polícia, cada um de nós temos que fazer a nossa parte. E também não podemos criticar por criticar e de maneira isolada. As coisas só funcionam se tiver união e organização. Temos que dizer aos gestores de todas as esferas que precisamos de mais políticas sociais, mais policiamento nas ruas, mais investimento na Educação e na saúde. Tudo isso deve ser retornado em troca dos grandes impostos que se paga nesse país”, disse durante o passeio a professora Maria Antonia.

Em frente à delegacia de José de Freitas foram feitos vários apelos pela segurança pública do município. De pé, o delegado Luciano Alcântara ouviu tudo atentamente.

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO