Por concurso público, oposição reprova teste seletivo da prefeitura de José de Freitas

Matéria publicada em, 11 de setembro de 2013

Depois de muita celeuma em torno de um projeto de lei que autorizaria o executivo a fazer teste seletivo para contratação temporária de servidores na prefeitura municipal de José de Freitas-PI, enfim, o projeto foi enviado para apreciação no Legislativo Municipal.

Foi durante a sessão ordinária do legislativo nesta terça-feira (10/09). Como era de se esperar, o projeto foi reprovado pela maioria dos vereadores da casa: 7 votos contra seletivo, ou seja, a favor de concurso público imediato, e 5 a favor do seletivo, ou seja, pela legalização de prestadores de serviços sem concurso público.

Foto: arquivo revistaopiniao
Foto: arquivo revistaopiniao

Se fosse aprovado o projeto do seletivo, com prazo de se realizar concurso em seis meses, como se diziam querer alguns vereadores da situação, seriam dois gastos com um objetivo só. Um seletivo com lisura, assim como um concurso, descontadas as proporções, acarretaria muitas despesas, a saber, a contratação de uma empresa para a realização do seletivo, com editais, prazos, contratação de fiscais, etc e tal. Seria gastar duas vezes com praticamente os mesmos expedientes, com uma enfática diferença: concurso efetiva e estabiliza, liberta, dignifica e premia por mérito os cidadãos.

Os votos a favor de concurso foram: José Luiz Pereira (PDT), Pedro Gomes (PT), Claudomires (PV), Roberval Santos (PMDB), Carlim Sampaio (PSD), Alfredo Holanda (PHS) e Castelo (PMDB).

Os que votaram pelo seletivo foram: Zilzimar Fernandes (PSB), Roberval Carvalho (PSDC), José Luiz de Souza (PSDC), Celivane Santos (PTB) e Dante Freitas (DEM).

O presidente da casa, vereador Monteiro (PSDC) não votou, mas sabe-se que sua posição seria a favor do seletivo e não por concurso, como querem os sete vereadores que se posicionaram contra o projeto.

Um grande público compareceu ao legislativo municipal. Ao término da sessão os vereadores que votaram pelo seletivo foram vaiados, ao passo que aqueles que votaram por concurso público, e contra o teste seletivo foram aplaudidos pelos populares presentes. Agora, segue-se a expectativa de um concurso público com previsão de pelo menos as mesmas 408 vagas destinadas ao teste seletivo simplificado reprovado na câmara municipal nesta terça (10).

Da Redação


Revista Opinião