Policiais Civis do Piauí decidem fazer paralisação

Matéria publicada em, 24 de março de 2011

Policiais civis reclamam reajuste de 24% acordado em 2010. Eles farão paralisação de advertência por três dias.

Os policiais civis decidiram no final da manhã por uma paralisação de advertência de três dias e pela execução do dissídio coletivo acordado com o governo estadual em 2010. A categoria que realizou assembleia em frente à Delegacia Geral, faz manifestação até o Palácio de Karnak.

Em votação, os policiais negaram a greve por tempo indeterminado, mas acataram a paralisação de advertência a partir da próxima segunda-feira (24). Segundo o presidente do sindicato, Cristiano Ribeiro, os trabalhadores irão executar o dissídio coletivo que determinava o reajuste de 24%, firmado com o governo do Estado, e participação da OAB e Tribunal de Justiça.

“Na greve do ano passado não tivemos ganho e a paralisação de agora é por conta do não cumprimento do acordo”, descreve Ribeiro. Os policiais negaram a proposta de parcelamento do reajuste até 2012 proposto pelo governo.

Durante a próxima segunda, terça e quarta, os Distritos Policiais não irão fazer as investigações e boletins de ocorrência, tratando apenas dos casos hediondos como estupro e homicídio.

Cristiano Ribeiro diz ainda que recebeu uma ligação do Secretário de Segurança, Robert Rios, na tarde de ontem (23), que marcou uma conversa com o sindicato para amanhã. “A gente vai sentar sem problemas, mas a plenária é soberana e até então está mantida a paralisação. Vamos marcar outra assembleia para passar a nova posição do governo”, declarou.

cidadeverde

 


Revista Opinião