Polícia afirma que prefeito e empregada são os assassinos da primeira-dama de Lagoa do Sítio-PI

Matéria publicada em, 11 de fevereiro de 2015

O delegado geral, Riedel Batista, afirmou nesta quarta-feira (11) que a polícia civil já elucidou o caso do assassinato da primeira-dama do município de Lagoa do Sítio-PI, Gercineide Monteiro de 35 anos, encontrada morta na madrugada da última terça-feira (10).

Prefeito Zé Simão ao lado da esposa Gercineide Monteiro
Prefeito Zé Simão ao lado da esposa Gercineide Monteiro

A primeira dama foi encontrada morta na manhã de ontem (10) e a primeira suspeita era que teria sido morte natural, talvez um infarto fulminante. Havia sangue pelas narinas e ouvidos. No entanto, após a realização de exames, foi constatado que a primeira dama foi morta com um tiro na cabeça.

O prefeito Zé Simão (PT), e a empregada doméstica Noêmia Maria da Silva Barros, são os acusados pelo crime e já estão presos em Teresina.

Noêmia Maria da Silva Barros, 43 anos, natural de Valença do Piauí, foi trazida e encontra-se na Penitenciária Feminina, na zona Sul da capital, enquanto o gestor, que seria o autor do crime contra a própria esposa Gercineide, está recluso em uma das celas da Polinter.

Noêmia Maria é acusada de participar do assassinato da primeira dama
Noêmia Maria é acusada de participar do assassinato da primeira dama

Em depoimento à polícia, Noêmia revela os motivos que teriam levado o prefeito a assassinar a esposa. No depoimento Noêmia diz que tinha um relacionamento amoroso com o gestor há cerca de dois anos. Ela afirma que Simão e Gecineide tinham brigas constantes e chegavam a se agredir fisicamente.

Segundo a empregada, Gecineide teve um caso extraconjugal com um médico na cidade e que Simão costumava falar que caso fosse traído mataria a mulher.

Veja abaixo os depoimentos de Noêmia e Zé Simão feitos à polícia:

depoimento 1

depoimento 2

depoimento 3

depoimento 4

depoimento 5

depoimento 6

Da Redação


Revista Opinião