Portal Revista Opinião

Poderosos querem tirar promotor Eliardo Cabral do Caso Fernanda Lages; ele reage

Matéria publicada em, 30 de setembro de 2011

Os promotores de Justiça Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha afirmam que só saem do caso Fernanda, após a sentença do juiz. Nesta quinta-feira (29), houve a informação de que teriam pedido o afastamento do promotor Eliardo Cabral do caso da jovem, que foi encontrada morta na obra do Ministério Público Federal, no dia 25 de agosto.

Tomei conhecimento ontem desse pedido de afastamento. Fiquei muito chateado, porque não pedimos para entrar no caso, mas já que estamos, não vamos sair e entrei junto com o Eliardo e só saio com ele”, destacou o Ubiraci Rocha.

 

Cabral disse que promotor não pode ser calado. “Como disse João Batista na Bíblia, para me calar só cortando a minha cabeça”. Ele afirmou que não deixará o caso. “Eu vou sair deste caso, quando o juiz proferir a sentença condenando os réus”, afirmou.

Os promotores informaram que o Ministério Público está fechado com o fato de ter sido homicídio. “Nós estamos convictos da natureza do crime, foi homicídio. Agora temos que descobrir o motivo”, informa Cabral.

Por conta dessa convicção, Eliardo Cabral disse que a pressão é grande sobre o trabalho dos promotores. “Nós estamos lutando contra um grupo forte financeira e politicamente e ainda enfrentando uma instituição que é a Polícia Civil que quer acreditar na tese de suicídio e arquivar o caso. Mas, nós não vamos deixar”, afirmou o promotor.

Ubiraci Rocha declarou que há três hipóteses na formação de uma peça: denúncia, novas diligências e o arquivamento. “Se entendermos que a Polícia Civil precisa de mais tempo, nós daremos, temos uma conversa franca e aberta com eles. Precisamos de provas convincentes e não pedimos condenação de inocentes”.

Nesta manhã, os promotores irão ter acesso aos laudos vindos da Paraíba na Comissão Investigadora do Crime Organizado (Cico) e ouvir pelo menos quatro pessoas que, segundo eles, ainda não foram interrogados pelo Ministério Público.

Fonte: cidadeverde


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO