Portal Revista Opinião

Piauiense, ex-jogador do Caiçara/Livramento, poderá jogar na Copa Libertadores este ano

Matéria publicada em, 13 de fevereiro de 2014

O jogador Crislan Henrique, ex-Caiçara/Livramento e ex-River, um dos destaques no Campeonato Paranaense de 2013 pelo Atlético Paranaense, é um dos 30 inscritos oficialmente pelo rubro-negro para a disputa do torneio internacional Copa Libertadores 2014. O Furacão estreia na fase de grupos nesta quinta-feira (13), em casa, contra o The Strongest, da Bolívia.

Crislan está inscrito juntamente com Adriano Imperador, que ainda não voltou a jogar depois de contratado pelo Atlético-PR.

Crislan, jogador do CAP, poderá jogar pela libertadores em 2014

Crislan, jogador do CAP, poderá jogar pela libertadores em 2014

O jogador piauiense de Teresina, atuou no ano de 2011 pelo Caiçara/Livramento, uma parceria entre os times de Campo Maior e o time freitense, que tinha como técnico o freitense Francisco Roberto, o Beto. O time tinha como sede a cidade de José de Freitas, onde treinava no Estádio Jacozão. À época, disputando o Campeonato Piauiense Sub-18, sagrou-se vice-campeão do torneio. A partir desse tempo, o jogador fez grandes amizades na cidade, e sempre que pode, faz uma visita aos amigos josedefreitenses.

Crislan, jogador do Atlético-PR, faz 22 anos em março deste ano

Crislan, jogador do Atlético-PR, faz 22 anos em março deste ano

História de superação

Para chegar ao profissional, o jovem atacante teve que encarar quilômetros a pé para chegar aos treinamentos no Piauí e contar com o apoio da família.

“Eu pegava quatro ônibus [para conseguir treinar], dois para ir e dois para voltar. Às vezes, a dificuldade do clube em que comecei [Piauí Esporte Clube] era grande e ganhava só dois vales [transporte]. Então, tinha que caminhar uma distância de três quilômetros para treinar. Mas estava fazendo aquilo que gosto e sabia que iria ter a recompensa”, conta.

“Nunca pensei em desistir”, continua Crislan. “Sempre quando fraquejava, e que pensava ‘não sei se é isso que eu quero’, tive uma família, um pai e uma mãe que sempre me apoiaram. Meu pai me levava de bicicleta para ir treinar, largando muitas vezes o seu serviço, mas feliz de ajudar”, completa.

Foi dessa forma que Crislan chegou à disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2011, e se destacou. Atuações que abriram portas ao atacante no profissional do Comercial (PI).

“Disputei três partidas e fiz quatro gols. Um deles foi eleito o oitavo mais bonito, com 15 segundos de jogo, contra o Paysandu (PA). Foi quando ganhei minha primeira oportunidade no Comercial (PI) como profissional e estreei no dia do meu aniversário.  Fui presenteado [na estreia] com um gol. Joguei a Copa do Brasil, a Série D do Brasileiro e fui emprestado para jogar o Pernambucano. Fui bem e depois voltei pro River (PI), meu ex-clube, e lá fiz gols bonitos, de voleio e de fora da área”, lembra.

Do River (PI), Crislan chegou ao Atlético Paranaense e aos poucos foi conquistando o seu espaço na equipe Sub-23. “Quando você vem de um Estado que é carente e onde o futebol não é visado, você sabe que há dificuldades. O pessoal fica com um ‘pé atrás’”, afirma. “Sem dúvidas, se não tivesse o Sub-23, seria mais difícil conseguir meu espaço e a confiança do treinador”, destaca.

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO