Piauí receberá mais de 300 millhões para investimento contra a seca

Matéria publicada em, 9 de novembro de 2012

O governo federal vai investir R$ 1,8 bilhão na construção e ampliação de barragens, adutoras, sistemas de abastecimento e em outras obras para aumentar a oferta de água no Nordeste e no norte de Minas Gerais, regiões sujeitas a estiagem frequente. O anúncio foi feito hoje (9) pela presidenta Dilma Rousseff durante encontro com governadores na 16ª reunião ordinária do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em Salvador.

Os recursos irão financiar 77 projetos em municípios do Semiárido que tiveram decreto de situação de emergência por causa da seca reconhecido pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. As obras serão indicadas pelos governos estaduais e terão prazo de um ano e meio para conclusão da primeira etapa.

A maior parte do dinheiro, cerca de R$ 1 bilhão, será repassada pelo Ministério da Integração Nacional para 33 obras. Do orçamento do Ministério das Cidades sairão R$ 656,2 milhões a serem investidos em 22 projetos. Mais 22 empreendimentos serão financiados com R$ 108 milhões da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Os recursos de R$ 1,8 bilhão de investimentos que foram detalhados hoje fazem parte de um pacote de R$ 3 bilhões para obras de prevenção contra a estiagem, segundo o Ministério da Integração.

O estado que vai receber mais investimentos na primeira fase é a Bahia, com R$ 454,9 milhões de repasses para sete projetos. Em seguida está o Piauí, que vai receber R$ 307,5 milhões para quatro obras. Pernambuco aparece na sequência e deve receber R$ 242 milhões para investimentos em 14 projetos.

A verba do PAC Estiagem será usada em quatro projetos no Piauí. O maior deles será na Barragem e Adutora dos Milagres, que terá R$ 109 milhões para beneficiar os municípios de Santa Cruz dos Milagres, São João da Serra, São Miguel da Baixa Grande, Prata do Piauí e São Felix do Piauí.

Outra obra hídrica contemplada é o sistema adutor de Bocaina/Piaus II, que passará por Bocaina, Sussuapara, Picos, Alagoinha do Piauí, Monsenhor Hipólito, Francisco Santos e Santo Antônio de Lisboa. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente receberá R$ 80,3 milhões para a obra.

Ainda estão no pacote a adutora Padre Lira, com R$ 19,10 milhões para levar água da barragem Jenipapo, em São João do Piauí, ao município de Dom Inocêncio e comunidades vizinhas, e a variante do primeiro trecho da Adutora do Garrincho, que será corrigida e passará por manutenção. São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, São Lourenço, Dirceu Arcoverde, Várzea Branca, Anísio de Abreu, Jurema e São Braz são os municípios assistidos.

O Piauí soma 1.193.471 pessoas atingidas pela seca, cerca de 38% da população.

Da Redação


Revista Opinião