PI-113 é fechada novamente por manifestantes em José de Freitas

Matéria publicada em, 26 de setembro de 2013

Desde as 5 h da manhã desta quinta-feira (26/09) até agora a pouco no início da noite, uma multidão se aglomerou na entrada da cidade de José de Freitas, na PI-113. Os manifestantes interditaram a PI-113 rumo a Teresina para impedir o tráfego de veículos, principalmente os ônibus da empresa São Joaquim, que detém a exploração da linha de transporte intermunicipal entre José de Freitas e a capital, Teresina.

CAPA

O movimento, que já havia se manifestado antes, em meados do mês de junho, retorna às manifestações. Os trabalhadores não aceitam pagar 8 reais ida e volta diariamente entre as duas cidades, um valor considerado exorbitante para quem é assalariado.

Ficou impedido o tráfego de qualquer veículo, sendo liberada apenas a passagem das ambulâncias que transportavam pacientes para Teresina. A polícia e o Ministério Público foram comunicados sobre a manifestação. Desde o início, a Guarda Municipal e a Polícia Militar observavam a manifestação, que agiu de forma pacífica.

Ambulâncias eram liberadas para prosseguir viagem. A polícia esteve observando tudo
A polícia esteve observando tudo
Ambulâncias eram liberadas para prosseguir viagem.
Ambulâncias eram liberadas para prosseguir viagem.

As reivindicações vão desde a diminuição da passagem de ônibus para trabalhadores e estudantes até a quebra do monopólio da empresa de transporte São Joaquim, que explora a linha há muitos anos e teve recentemente sua concessão renovada pelo governo do estado, com a outorga da Assembleia Legislativa do Piauí, por mais 25 anos.

Segundo os manifestantes, já foram feitas várias audiências públicas para tentar uma solução para o problema, reunindo usuários, câmara de vereadores e prefeitura de José de Freitas, assembleia legislativa, ministério público, e a empresa São Joaquim, mas nada de concreto foi estabelecido.

Manifestantes levaram cartazes com suas reivindicações
Manifestantes levaram cartazes com suas reivindicações

A passagem custa atualmente 4 reais para o trabalhador e 3 reais para o estudante, preço conseguido após as primeiras manifestações encabeçadas pelo movimento intitulado ACORDA JF. Na semana passada em uma reunião dos membros do movimento, com representantes da prefeitura, da câmara de vereadores e da assembleia legislativa, ficou acordado uma contrapartida da prefeitura à empresa São Joaquim, no valor de 12 mil reais mensais para que ela mantivesse os preços atuais, porém os usuários alegam que o preço da passagem ainda continua alto. Eles querem a quebra do monopólio da linha e a abertura para outras empresas, fazendo com que a concorrência abaixe os preços da passagem.

PESSOAS (1)-vert

O movimento se estendeu até a localidade Segurança, na PI-113, onde permaneceu até o início da noite de hoje, com promessas de retornar na segunda-feira (30/09), caso a empresa e as autoridades não tentarem um ajuste para o problema. Fizeram parte do movimento, estudantes, trabalhadores, professores, empresários e comerciantes de José de Freitas, além do apoio de representantes sindicais, como SINTRAF, SISMUJOF, STTR e SINTE e de alguns vereadores.

Manifestantes pousaram para fotos
Manifestantes pousaram para fotos

Da Redação


Revista Opinião