Palmeiras sofre, segura o empate e não cai graças à ajuda do Santos

Matéria publicada em, 7 de dezembro de 2014

Foi no sofrimento, no sufoco, mas deu. O Palmeiras ficou no 1 a 1 com o Atlético-PR neste domingo (7) no Allianz Parque, e pôde contar com o Santos, que derrotou o Vitória (1 a 0) para continuar na primeira divisão. O time alviverde termina o Brasileirão com 40 pontos, dois a mais que o Vitória, que ficou na zona de rebaixamento.

Henrique fez o gol de empate do Palmeiras, que se livrou do rebaixamento graças ao tropeço do Vitória diante do Santos
Henrique fez o gol de empate do Palmeiras, que se livrou do rebaixamento graças ao tropeço do Vitória diante do Santos

O gol do Santos na Bahia aconteceu no fim, quando já havia terminado o duelo do Palmeiras. Com isso, palmeirenses permaneceram em campo à espera do término da partida no Barradão. A partida estava empatada e existia o risco de um gol do Vitória. Mas o gol de Thiago Ribeiro fez com que torcedores alviverdes chorassem na arquibancada de São Paulo.

Valdivia e Prass também foram às lágrimas. O Palmeiras, aliás, deve sua permanência na Série A ao goleiro Fernando Prass, que segurou os visitantes no primeiro tempo com excelentes defesas.

Fases do jogo: O Atlético-PR começou o jogo no contra-ataque, explorando muito as laterais de campo e, especialmente, os erros de Lúcio. Aos 9 minutos, Gabriel Silva chegou a salvar chute de Douglas Coutinho em cima da linha, após Delatorre ter feito ótima jogada para cima do lento Lúcio. No lance seguinte, a defesa não resistiu e Ricardo Silva abriu o placar após ganhar outra bola em cima do zagueiro pentacampeão.

O Palmeiras, então, passou a jogar com nervosismo, se lançando sem muita organização para o gramado. Aos 18, em pênalti polêmico, Henrique empatou. O Atlético-PR ainda pressionou e fez Fernando Prass trabalhar muito. Por sorte palmeirense, ele foi bem. Depois disso, a melhor parte do jogo foi Valdivia, sem nenhuma condição física, mostrar raça e vontade para ajudar sua equipe. A torcida foi ao delírio.

No segundo tempo, Valdivia seguia como a única esperança alviverde. Ele armava todas as jogadas de perigo do Palmeiras. Dorival, então, resolveu mexer e colocou o time mais para frente. Pablo Mouche e Cristaldo entraram nos lugares de Mazinho e Wesley, respectivamente. Em uma jogada pela direita, João Pedro fez boa corrida pela direita e colocou nos pés de Renato. O volante tentou dar de letra.

O melhor: Fernando Prass. Sempre que exigido, o goleiro fez ótimas defesas. Não fosse por ele, o Palmeiras poderia terminar o primeiro tempo perdendo por pelo menos três gols de diferença.

O pior: Lúcio. O zagueiro mostrou que não tem mais condição física. Como sempre teve a carreira pautada na força, fica difícil para ter segurança com ele em campo.

O toque dos técnicos: Sem precisar de pontos, o Atlético-PR veio com time misto, com o técnico Claudinei fazendo testes com atletas que não foram muito utilizados no decorrer do ano. Já Dorival escalou Valdivia no sacrifício e escolheu Mazinho para fazer a ligação entre meio e ataque.

Para lembrar.
Finalmente! Depois de dois jogos e três gols adversários, o Palmeiras, enfim, balançou as redes de sua nova arena. O gol de Henrique foi o primeiro da história alviverde.

A benção. Marcos esteve no Allianz Parque. Ao lado de sua mulher e seu filho, o ex-goleiro acompanhou ao jogo de um dos camarotes do estádio.

Silêncio. O placar do Allianz Parque não anunciou, em nenhum momento, os gols da rodada. A torcida, no entanto, mostrava acompanhar o andamento por rádios e celulares.

Vais e mais vaias. Wesley, mais uma vez, deixou o estádio muito, mas muito xingado pela torcida alviverde. O volante sentou no banco para dar espaço para Cristaldo.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Local: Allianz Parque, em São Paulo
Data: 7 de dezembro de 2014, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Público pagante: 33151
Renda bruta: R$ 2976,260
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden – RS (FIFA)
Assistentes: Marcelo Bertanha Barison – RS (CBF-1) e Jose Antônio Chaves Franco Filho – RS (CBF-1)
Cartões amarelos: Cristaldo (PAL); Dráusio (ATL)
Gols: Ricardo Silva, aos 9 minutos do 1º T; Henrique, aos 19 minutos do 1ºT

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Nathan (Victorino), Lúcio e Victor Luís; Gabriel Dias, Renato, Wesley (Cristaldo) e Valdivia; Mazinho (Pablo Mouche) e Henrique.
Técnico: Dorival Júnior.

ATLÉTICO-PR: Wéverton, Mário Sérgio, Dráusio, Ricardo Silva e Lucas Olaza; Otávio, Paulinho Dias, Nathan (Matteus) e Marcos Guilherme; Douglas Coutinho e Dellatorre.
Técnico: Claudinei Oliveira

Fonte: uol


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO