Portal Revista Opinião

OPINIÃO: “CORDEL DESENCANTADO”

Matéria publicada em, 5 de setembro de 2011

Atentai bem, meu amigo,

para esta grande realidade:

2012 se aproxima,

Teremos uma nova oportunidade,

Será mais um ano para você

Através do voto escolher,

O futuro da nossa cidade.

 

133 anos se passaram,

Desde a nossa emancipação.

Muitos políticos daqui

Conseguiram destaque e projeção,

Mas a falta de compromisso

Deixou nosso povo submisso

Vivendo apenas de ilusão.

Já projetamos deputados

E até mesmo governador.

José de Freitas já exportou

Também ministro e senador.

Infelizmente, porém,

Eles trataram com desdém

Nosso município promissor.

José de Freitas, antigamente,

Tinha o nome de “Livramento”.

Será que um dia nos livraremos

Desses políticos cabeças-de-vento?

Que insistem em pisar na bola

E ao nosso município assola,

Deixando o povo no sofrimento.

Mas é bom que se diga

Que ainda temos confiança,

Pois como diz o ditado:

“Quem espera sempre alcança”.

Somos um povo de atitude

E temos a grande virtude

De jamais perdermos a esperança.

 

Esperança de que surjam políticos

Com coragem e sensibilidade,

Que percebam nossos problemas

E também nossas potencialidades.

Que sejam dotados de talento

Para semear o desenvolvimento

A toda a nossa sociedade.

José de Freitas não merece

Este momento de amargura.

Nossa gente é pacata,

Porém dotada de bravura.

Já provamos ter valor

Quando elegemos um professor

Para administrar a prefeitura.

Eleger um professor

Seria algo muito normal,

Se a disputa naquele momento

Não fosse tão desigual:

Onde a elite poderosa,

De maneira vergonhosa,

Armou um verdadeiro carnaval.

Subestimaram a inteligência

De um povo de muita fé.

Tentaram criar um bicho,

Vou dizer que bicho é:

É o bicho “jacaruru”,

Que foi a mistura do cururu

Com o tal do jacaré.

 

Mas o povo não aprovou

Aquela deplorável coligação.

E a maioria foi às urnas

Com muito orgulho e convicção:

Conduzindo o simples professor

Para ser nosso administrador

Para o bem da população.

A eleição de 2012

Não será muito diferente,

José de Freitas terá uma nova chance

Para votar de forma consciente,

E eleger tanto para o executivo

Quanto para o nosso legislativo

Gente honesta e competente.

É preciso que o eleitor

Se municie deste sentimento:

Que o desejo de inovação

Seja seu principal “alimento”,

Pois é agindo dessa forma

Que uma sociedade se transforma

E chega ao desenvolvimento.

Queremos agora destacar

A importância do vereador,

Pois quando esse cumpre o seu papel,

Sendo do povo seu defensor,

À elaboração de projetos ele visa

E ao executivo fiscaliza,

Honrando o voto do eleitor.

 

Ser vereador não é, meu amigo,

Adquirir uma pickup ou caminhão;

Dar prioridade ao assistencialismo:

Transportando gente, mandioca ou carvão.

Não é jamais dar esse suporte

Utilizando seu transporte,

Visando ganhar a eleição.

Ser vereador é ser criativo,

Ter bom caráter e sabedoria;

É ter capacidade de por em prática,

Poder dinamizar a teoria.

É estar ao lado do gestor

Quando o trabalho dele for,

Em prol do bem-estar da maioria.

Mas se o contrário acontece

E o gestor só faz besteira

Compete ao bom vereador,

Para Honrar a sua cadeira,

Tornar-se o nosso escudo

No combate aos absurdos

Na defesa da nossa bandeira.

É preciso que os vereadores

Estejam sempre vigilantes;

E exerçam seu papel

De maneira relevante:

Garantindo nossos direitos,

Pois para isso foram eleitos

Como nossos representantes.

 

Este pequeno manifesto

Agora vou encerrar,

Pedindo aos meus conterrâneos

Que não parem de sonhar.

Que exerçam sua cidadania,

Votando com sabedoria,

Para nossas vidas melhorar.

Pois o destino do nosso município

O povo é quem conduz:

Quando se vota conscientemente

A escuridão cede lugar à luz.

Através do voto podemos fazer

Uma José de Freitas melhor de se viver,

Com as bênçãos do nosso Senhor Jesus.

 

Autor: Chico Bento (artista popular de José de Freitas)

 

 


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO