Opala e cajuína são produtos genuinamente piauienses, diz IBGE

Matéria publicada em, 25 de outubro de 2016

A cajuína, a opala preciosa de Pedro II e joias artesanais de opala entraram no mapeamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) como produtos e serviços certificados existentes no Piauí.

Cajuína é patrimônio cultural do Piauí (Foto: Gilcilene Araújo/G1)
Cajuína é patrimônio cultural do Piauí (Foto: Gilcilene Araújo/G1)

Há um ano o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural já havia registrado a cajuína, assim como a produção e as práticas socioculturais associadas a essa bebida, como Patrimônio Cultural Brasileiro.

A versão digital do Mapa das Indicações Geográficas do Brasil, fruto de uma parceria com o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) foi disponibilizado nesta quinta-feira (20). O mapa traz informações sobre os chamados Selos de Indicação Geográfica (IG), localizando as regiões de origem de 49 produtos e serviços nacionais certificados por Indicação de Procedência ou Denominação de Origem.

Os vinhos e espumantes do Vale dos Vinhedos (RS), o camarão da Costa Negra (CE) e as rendas de Divina Pastora (SE) e do Cariri (PB) são alguns exemplos de produtos brasileiros com Indicações Geográficas consagradas, assim como as cachaças de Paraty (RJ), Salinas (MG) e Abaíra (BA), o artesanato em estanho de São João Del-Rei (MG), as opalas e joias artesanais de Pedro II (PI), o mel do Pantanal (MT/MS) e de Ortigueira (PR), a própolis vermelha dos manguezais de Alagoas e as panelas de barro de Goiabeiras (ES), entre outros.

pala extraída em Pedro II é o principal motor para desenvolvimento econômico (Foto: Reprodução/TV Clube)
pala extraída em Pedro II é o principal motor para desenvolvimento econômico (Foto: Reprodução/TV Clube)

Ao todo, o Mapa das Indicações Geográficas identifica 49 áreas certificadas. Distribuídas por todas as regiões geográficas brasileiras, elas foram definidas pelas próprias associações, sindicatos e cooperativas de produtores locais e estão certificadas pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

O Selo de Indicação Geográfica do INPI é regulamentado pela Lei da Propriedade Intelectual. A Indicação Geográfica atesta a origem e as condições especiais de fabricação dos produtos certificados, permitindo que os consumidores tenham informações confiáveis sobre a qualidade e a autenticidade daquilo que estão adquirindo. Esse tipo de certificação também valoriza a cultura local e fomenta atividades turísticas.

Cajuína
A cajuína é uma bebida feita a partir do suco do caju.O líquido é caracterizado pela sua cor, doçura, cristalinidade, leveza e densidade. Esses fatores dependem principalmente da qualidade do caju e das técnicas utilizadas para a produção da bebida, considerada não-alcoólica. A produção é feita através da clarificação a partir do suco separado do seu tanino, por meio da adição de um agente precipitador. Depois de clarificado, o suco é cozido em banho-maria em garrafas de vidro até o momento em que o açúcar seja totalmente caramelizado.

Fonte: G1/Piaui


Revista Opinião