Nove anos sem Francisca Trindade

Matéria publicada em, 27 de julho de 2012

FRANCISCA DAS CHAGAS DA TRINDADE nasceu em Teresina em 26 de março de 1966, filha de Raimundo Pereira da Trindade e de Lídia Maria da Trindade. Mãe de Camila e Yan Kalid.

Fez seus primeiros estudos nos Colégios Vaz da Costa (Buenos Aires); Firmina Sobreira (Poty Velho); o ginasial nos colégios Edgar Tito (Memorare) e Leão XIII (Vila Operária); o Segundo Grau nos Colégios Cidade, Teresina e Cursão/Cipreve. Formou-se em Teologia pela universidade Federal do Piauí – UFPI, onde estava cursando Filosofia.

No bairro Água Mineral, onde residia, começou sua militância nos grupos de jovens da comunidade, onde liderou as organizações e as lutas dos jovens do Bairro e da periferia de Teresina. Foi Secretária da Pastoral de Juventude do Meio Popular (PJMP) da Arquidiocese de Teresina. Sua militância na Pastoral de Juventude e nas lutas sociais foi um passo para o ingresso na vida política. Foi uma das organizadoras no Estado da Articulação Nacional do Solo Urbano. Participou ativamente como representante do Estado na Central Nacional de Movimentos Populares. Foi fundadora e Presidente da Associação de Moradores do Bairro Água Mineral por duas gestões. Daí partiu com outros companheiros para a organização da Federação das Associações de Moradores e Conselhos Comunitários do Estado do Piauí (FAMCC), entidade que congrega várias associações de bairro, da qual foi também Presidente.

Começou ativamente sua militância política filiando-se ao Partido dos Trabalhadores em 1985, participando da sua organização e construção, ao lado de inúmeros companheiros, contribuindo para difundir a ideia de um partido de massa.

Em 1992 foi candidata a Vereadora pelo Partido dos Trabalhadores sendo a primeira suplente com 998 votos, assumindo posteriormente, vaga na Câmara Municipal de Teresina. Em 1996 foi candidata a vereadora, se elegendo com 4.270 votos, sendo a mulher mais votada na eleição e a quinta no total geral.

Na Câmara Municipal de Teresina, Francisca Trindade se destacou como a parlamentar mais atuante de 1995, recebendo prêmio e o reconhecimento da imprensa local e da sociedade. Desempenhou ações importantes naquela Casa, defendendo a moralização e a ética na política, bem como a transparência no uso dos recursos públicos e na defesa do Patrimônio Público. Desempenhou também ações fundamentais na apresentação de propostas e projetos de grande relevância para a sociedade teresinense, senão, piauiense. São de sua autoria enquanto vereadora da cidade, projetos que se tornaram leis como o Disque Mulher Cidadã, o da Validade do Vale Transporte de 30 para 60 dias, a Praça é Toda Graça, Espaço de produção e comercialização nos bairros de Teresina, este último incorporado pela Prefeitura como ”Revitalizando os Bairros”, dentre muitos outros.

Em 1998, foi candidata a deputada estadual elegendo-se como a deputada mais votada de Teresina e a quinta mais votada de todo o Estado, com mais de 26.000 votos. Em 1999 Trindade se destacou como a parlamentar mais atuante em pesquisa feita junto a servidores da Secretaria de Comunicação Social, Rádio e TV Piauí, destacando-se mais uma vez na luta em favor da moralização e transparência do Poder Legislativo, pela luta contra a corrupção nos órgãos públicos, na defesa de propostas moralizadoras e na elaboração de políticas públicas.

Em 2002, são de sua autoria na Assembleia Legislativa os Projetos de Lei do Fundo de Geração de Emprego e Renda e Apoio ao Desenvolvimento Sustentável do Piauí, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher, Fundo de Incentivo à Segurança Pública, Projeto que Veda a Manutenção de Gabinetes e Assessorias, o Programa de Combate à Discriminação Racial, o projeto que Institui o Departamento Estadual de Combate ao Abuso Sexual Infanto-Juvenil, Programa de Construção de Cisternas na região semiárida, Gratuidade para Idosos, dentre outros.

Na Assembleia Legislativa, nos anos de 1999-2000, assumiu a Presidência da Comissão de Direitos Humanos, levando para aquela Casa grandes discussões referentes aos direitos e cidadania das pessoas, tornando-a mais próxima dos anseios e dos interesses da população.

Na eleição de 2000, foi candidata a vice-prefeita do Partido dos Trabalhadores, contribuindo com uma expressiva votação do Partido na cidade. Nas eleições de 2002, Trindade foi candidata a deputada federal eleita com a maior votação da história.

Porém, sua carreira política vitoriosa foi encerrada prematuramente no dia 27 de julho de 2003. Foi neste dia que a militante do Partido dos Trabalhadores (PT) faleceu, aos 37 anos, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). Faleceu no auge da carreira. Deputada federal, era aliada de primeira hora do Governo Wellington Dias (PT), que ainda estava em seu primeiro mandato.

O Piauí inteiro ficou de luto. Não havia partidos, crenças ou pensamento ideológico naquele momento. Apenas o sentimento de perda, um vazio na alma e uma dor no peito de todos os piauienses que custavam a crer que uma das maiores esperanças no cenário político do estado havia se extinguido. Ficou a lembrança e o desejo para que seu exemplo pudesse fazer nascer outras lideranças com o intuito meramente social como fora o dela.

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO