MP apura denúncias de irregularidades em financiamento de casas em José de Freitas

Matéria publicada em, 22 de julho de 2016

promotor-flavio-pequenoO promotor Flávio Teixeira de Abreu Júnior, titular da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de José de Freitas-PI, instaurou na última quarta-feira (20 de julho de 2016), o Inquérito Civil Público nº 006/2016, para apurar supostas irregularidades em contratos de compra e venda de imóveis, principalmente, casas que foram financiadas pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal, no município de José de Freitas, que fica a 48 km da capital do Piauí (Teresina).

O promotor Flávio Teixeira de Abreu instaurou o inquérito civil público para apurar as possíveis irregularidades, depois que recebeu várias reclamações de pessoas que tiveram seus imóveis financiados pelo BB e pela CEF. De acordo com denúncias feitas ao promotor Flávio Teixeira, terrenos teriam sido comprados por construtores em José de Freitas-PI, de seus próprios proprietários (donos), e que os valores dos referidos terrenos estariam incluídos no financiamento e que esses proprietários continuariam pagando pelos próprios terrenos, o que se configuraria lesão a essas pessoas possuidoras dos imóveis que foram financiados pela CEF e pelo Banco do Brasil.

Em razão das denúncias que estão sendo apuradas através do inquérito civil público, o promotor de justiça Flávio Teixeira de Abreu Júnior está convocando todas as pessoas que, possuidoras ou proprietários de terrenos em José de Freitas, que adquiriram casas que foram construídas nesses imóveis, por meio de financiamento do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal, para comparecerem no horário das 12 horas na 2ª Promotoria de Justiça de José de Freitas, desde agora, até o dia 31 de agosto de 2016.

O promotor Flávio Teixeira pede ainda na convocação que as pessoas levem cópias dos documentos relativos aos terrenos, situação como está na prefeitura e no cartório de registro de imóveis e ainda cópias dos contratos de financiamentos ou quaisquer outros relacionados ao negócio. Caso o promotor Flávio Teixeira constate as supostas irregularidades que foram levadas ao seu conhecimento e que estão sendo investigadas através do inquérito civil público, os responsáveis serão denunciados à Justiça.

imagem

Da Redação                               Fonte: saraivareporter


Revista Opinião