Portal Revista Opinião

Modelo piauiense é internada em hospital psiquiátrico em SP e família pede ajuda para trazê-la ao PI

Matéria publicada em, 4 de novembro de 2011

A modelo piauiense Osmarina Rodrigues está internada desde o dia 31 de outubro no Hospital Psiquiátrico Pinel, localizado na cidade de São Paulo, após uma crise depressiva. Ela estava trabalhando na capital paulista desde o mês de março. A família da jovem de 25 anos agora pede ajuda para conseguir trazê-la de volta ao Piauí para que ela continue seu tratamento próximo dos parentes.

Modelo Piauiense passa por necessidade em SP

 

A mãe de modelo, Maria da Cruz Rodrigues, disse ao CidadeVerde.com que sempre se comunicava com a filha e que nas últimas semanas Osmarina manifestava o desejo de voltar para casa. “Ela foi em março com uma proposta para trabalhar, mas não deu certo. Então ela continuou tentando e foi morar em um apartamento com outras modelos. Cheguei até a mandar dinheiro para ela fazer um book, mas ela me ligou na quinta, dizendo que queria vir embora”, descreve.

Segundo dona Maria da Cruz, de uns tempos para cá a modelo falava da dificuldade em conseguir trabalho. “Eu sempre dizia pra ela, ‘minha filha, se não der, volte. Se você quiser trabalhar em outro serviço, venha. Não é motivo pra se envergonhar’. No sábado, recebi a informação que ela foi internada com depressão. Queremos trazê-la pra fazer o tratamento aqui”, acrescenta.

Modelo piauiense Osmarina Rodrigues

 

Uma funcionária do hospital, informou que Osmarina está se recuperando bem e está mais animada já que recebeu visitas de amigas na quinta-feira. “Ela chegou aqui bastante deprimida, chorando bastante e falando da filha. Agora está melhor e deve passar por uma avaliação na próxima quarta-feira”, disse Silvia, que acompanha o caso da piauiense.

Segundo Maria da Cruz, a jovem deve receber alta daqui a quinze dias e a família precisa de ajuda pra trazê-la de volta ao Piauí. “Fiquei mal de saúde com este problema, mas estamos tentando buscá-la e que ela continue o tratamento aqui”, diz a mãe de Osmarina, que disponibilizou os telefones 9926-3584 e 9487-1364, para quem puder ajudar.

Fonte: cidadeverde

 


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO