Idosos são enganados e caem no golpe de falso agente de saúde

Matéria publicada em, 12 de novembro de 2013

Vários idosos procuraram a Delegacia do Idoso de Teresina para denunciar um homem que  se passou por agente de saúde para aplicar golpes. De acordo com o delegado Armandino Pinto, as vítimas tiveram cartões bancários e dinheiro levados pelo suspeito.

Várias vítimas foram á delegacia fazer denúncia
Várias vítimas foram á delegacia fazer denúncia

“Esse golpista chega nas residências dos idosos se passando por funcionário do Ministério da Saúde com o pretexto de recadastramento no sistema público de saúde. Ele pede o cartão bancário dos idosos e a senha, assim ele repassa os dados para a quadrilha que faz empréstimos consignados”, contou.

Ainda segundo a polícia, uma das vítimas só notou que tinha caído no golpe quando o suspeito saiu da casa dizendo que o sistema do posto de saúde estava fora do ar. “Uma das vítimas só descobriu que estava diante de um golpista quando ele começou a prometer muitos benefícios e pediu toda a documentação do idoso”, disse Armandino.

Nesta terça-feira (12) a movimentação na delegacia especializada era grande. Uma das vítimas, que preferiu não se identificar, disse que o suspeito se apresentou como agente de saúde e pediu a documentação para ganhar medicamentos de uso controlado do Governo Federal. “Ele me disse que o benefício era apenas para aposentados e que os remédios seriam doados pelo governo”, falou.

A vítima disse ainda que além de medicamentos o homem também chegou a prometer uma casa para quem estivesse cadastrado. “Foi nessa hora que comecei a desconfiar, pois ninguém chega dando uma casa para outra pessoa sem mais nem menos”, contou o idoso.

Para a polícia, esse é um novo golpe que está sendo praticado na capital. “Tomamos conhecimento nesta semana e vamos investigar. Queremos alertar aos idosos que o funcionário não pede conta bancária de ninguém, além do mais, não existe essa forma de contato por órgão de saúde, pois o funcionário anda devidamente identificado com o crachá. Em caso de dúvidas, não entregue os documentos pessoais e ligue imediatamente para a polícia”, alertou o delegado.

Da Redação                                                       Fonte: G1


Revista Opinião