Humorista Juca Chaves diz que sempre fez ‘piada fina’ sobre o Piauí

Matéria publicada em, 25 de março de 2011

Ator Marauê Carneiro atribuiu ao humorista frase jocosa sobre cidade. Chaves já recebeu comenda por música na qual homenageia o Estado.

Humorista Juca Chaves

O humorista Juca Chaves nega que já tenha dito em seus shows que “o Piauí fica no c. do mundo”, como afirma o ator Marauê Carneiro. Nesta sexta-feira (25), Carneiro divulgou um pedido de desculpas pela frase jocosa sobre o Estado publicada em sua página no Facebook, na qual atribuía a autoria ao comediante.

“Eu sempre fiz piada fina sobre o Piauí. Já fiz vários shows lá, tenho vários amigos que moram lá”, explica Chaves. “Essa frase você encontra em traseira de caminhão lá no Piauí. O próprio povão costuma brincar com essa história, tem muita piada popular divertida sobre essa distância do resto do país”.

Chaves diz que já recebeu uma comenda do governo do Estado por tem composto a música “Take me back to Piauí”, na década de 1970. Diz a letra: “Adeus Paris tropical/adeus Brigite Bardot/o champanhe me fez mal/caviar já me enjoou/Simonal que estava certo/ na razão do Patropi/eu também que sou esperto/vou viver no Piauí”

O humorista explica que sempre foi cuidadoso ao fazer brincadeiras sobre localidades porque “o povo sempre é ufanista”. E relembra uma piada que fez quando passou pelo Piauí há oito anos – em tom bem menos depreciativo do que a frase de Carneiro.

“Brinquei que no Piauí passarinho voa com uma asa só, porque com a outra se abana do calor. E o pessoal ficou bem bravo na época”, diz Chaves. “As pessoas precisam ter mais humor. Não precisa partir para a agressão. Essa polêmica toda, que bobagem…”.

‘Fica frio’

Marauê Carneiro, Celso Bernini e Kayky Brito

Marauê Carneiro faz parte do elenco da peça “Fica frio”, que também traz os atores Kayky Brito e Germano Pereira. O espetáculo tinha três apresentações marcadas no Teatro Assembleia Legislativa, na capital piauiense, mas foi cancelada após a frase do ator no Facebook. 

O deputado Fábio Nuñes Novo anunciou o cancelamento após consultar a mesa diretora, composta por nove deputados piauienses.

“A decisão foi unânime. Não há como a peça ser apresentada neste teatro diante de um comentário horrível como foi feito pelo ator. Preciso preservar a integridade do patrimônio público. Muitas pessoas foram até a sessão dizer que comprariam o ingresso para a peça, mas que levariam ovo e tomate para jogar no ator.”

O diretor do teatro, José Pereira Rosa Filho, disse que apresentou um contrato de cancelamento das três apresentações para os produtores responsáveis pela peça. “O espetáculo está cancelado. O pior é que poderia ter segunda sessão todos os dias. Diante de uma situação como essa, queremos resolver o problema de comum acordo, sem maiores prejuízos para ambas as partes. O ator pediu desculpas, mas a população não reagiu bem.”

O deputado disse que o pedido de desculpas feito pelo ator não resolve o problema. “A retratação feita por ele, em uma carta, ficou pior do que o comentário que ele fez no Facebook. Ele tenta se justificar dizendo que o termo usado por ele é comum no Piauí. E não é. Ele ofendeu a população, que está reagindo de diversas maneiras e tememos que chegue a ser violenta”, afirmou Novo.

Restart

Grupo Restart

Em outro caso recente, Thomas, baterista da banda Restart, precisou se defender pelo Twitter depois de receber críticas na internet por um episódio em que disse não saber se há “civilização” no Amazonas. Durante um bate-papo com a banda promovido pelo programa “Video show”, em março do ano passado, o músico é perguntado sobre quais lugares ele ainda gostaria de tocar. Thomas responde: “Queria tocar no Amazonas. Imagina, tocar no meio do mato, não sei nem como é o público de lá. Não sei nem se tem gente civilizada, civilização.”


Revista Opinião