Homem é preso com diploma de medicina falso na capital

Matéria publicada em, 29 de janeiro de 2016

A Polícia Federal do Piauí prendeu por volta das 12h desta sexta-feira (29) um rapaz suspeito de fraudar documentos para se passar por médico no Estado. Ele foi preso dentro do CRM (Conselho Regional de Medicina), no bairro Ilhotas, zona Sul de Teresina.

Homem apresentou diploma de medicina falso para se registrar como médico no PI
Homem apresentou diploma de medicina falso para se registrar como médico no PI

A direção do Conselho informou que o rapaz identificado como Dyego Franncis Costa Matos, 33 anos, solicitou registro junto ao CRM para atuar no Piauí. Para trabalhar no Estado, o conselho precisa expedir o documento. Ele foi por três vezes ao Conselho. Na segunda vez, entregou um documento informando que ele se formou na Universidade Regional de Blumenau, em Santa Catarina, em 10 de fevereiro de 2016, uma data errada.

Diploma apresentado tem data de 10 de fevereiro de 2016
Diploma apresentado tem data de 10 de fevereiro de 2016

“Ele apresentou um diploma e histórico escolar em imagem pdf, que chamou atenção, revelando que não era material original, além da data que estava errada”, informou Ricardo Abdala Cury, chefe do setor jurídico do CRM.

A assessoria jurídica do CRM entrou em contato com a Universidade Regional de Blumenau e a faculdade informou que o diploma era falso.

“A universidade nos informou que ele não estudou lá, e nem conclui o curso de medicina na instituição. Não tinha nenhum vínculo com a faculdade”, garantiu Ricardo Cury.

Homem apresentou diploma de medicina falsificado em Teresina
Homem apresentou diploma de medicina falsificado em Teresina

O suspeito entregou ao Conselho documentos com carimbos do Ministério da Educação.

“No diploma havia vários carimbos, inclusive do Ministério da Educação, mas nenhum com assinatura”, destacou o chefe do setor jurídico.

A Polícia Federal fará perícia no diploma do suspeito. Ele é natural de Barra do Garças, em Mato Grosso, e foi levado para a sede da PF, na avenida João XXIII. Ricardo Cury prestou depoimento e o suspeito também será ouvido ainda hoje. No CRM, Dyego Matos garantiu que a universidade iria demorar 45 dias para emitir seu diploma.

Fonte e imagens: cidadeverde


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO