Greve na educação deve acabar após justiça acatar pedido de professores

Matéria publicada em, 10 de agosto de 2018

A greve das escolas do estado deve ser finalizada. Os professores da Rede Estadual de Ensino estão comemorando a vitória. O pleito corria em dissídio coletivo na justiça e o desembargador Joaquim Santana deu parecer favorável à categoria.

Nesta sexta-feira (10), Joaquim Santana determinou que fosse interrompido o movimento grevista promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica (SINTE), após o cumprimento da decisão pelo Estado do Piauí, com o retorno dos trabalhadores da educação básica aos postos de serviços e ao exercício de suas atividades na capital e no interior do Estado:

“ASSIM, O ESTADO DO PIAUÍ DEVE CUMPRIR IMEDIATAMENTE O ACORDO
JUDICIAL HOMOLOGADO, (…), DE FORMA QUE SEJA
IMPLEMENTADO EM FOLHA DE PAGAMENTO OS REAJUSTES DOS VENCIMENTOS
DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA, SOB PENA DE MULTA DIÁRIA”

O desembargador intimou o Estado do Piauí a cumprir o acordo judicial no prazo de 48 horas, através de folha suplementar, para aplicar retroativo ao mês de maio/2018, o reajuste de 6,81% , para os profissionais do magistério público da educação básica ocupantes de cargos efetivos e de  3,15% (três inteiros e quinze centésimos por cento), para o pessoal de apoio técnico e administrativo da educação básica ocupante de cargo efetivo.

Determinou ainda que, no mês de setembro de 2018, aplique o reajuste no percentual de
3,95% para os servidores administrativo da educação estadual. “Os reajustes acima devem ser estendidos para os aposentados e pensionista como prevê o acordo judicial e a lei aprovada na Assembleia Legislativa do Piauí. Que seja aplicada ao Governador do Estado multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento da decisão judicial”, diz a decisão.


Revista Opinião