Portal Revista Opinião

Greve de coletivos inicia nesta segunda (7) em Teresina

Matéria publicada em, 6 de maio de 2012

Sem receber contraproposta até a tarde deste domingo (6), motoristas e cobradores de ônibus de Teresina mantiveram a greve a ser iniciada às 0h desta segunda-feira (7). O Sindicato dos Rodoviários – Sintetro – esteve próximo de um acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina – Setut -, mas a paralisação por tempo indeterminado foi mantida.
Reivindicando 15% de reajuste, os cerca de 3,5 mil trabalhadores, já com a greve confirmada, receberam na sexta-feira uma contraproposta do Setut para 10% de aumento. O percentual dividiu a categoria, mas não foi aceito. Uma nova proposta foi feita pelos motoristas e cobradores, reduzindo o aumento para 12%. A decisão foi tomada em assembleias no último sábado. Contudo, o movimento foi mantido e os empresários ainda não responderam se irão aceitar ou oferecer outra alternativa nas negociações.
Francisco das Chagas Oliveira, presidente do Sintetro, informou ao Cidadeverde.com que até 16h não havia recebido uma resposta do Setut e achava muito improvável que isso ocorresse ainda no domingo para impedir a greve.
Ônibus extras
Em função da greve, desde sábado a Superintendência de Transportes e Trânsito – Strans – cadastra ônibus para minimizar os efeitos do movimento, que deve reduzir a frota nas ruas para os 30% previstos em lei. Até o final da manhã de domingo, mais de 30 veículos haviam sido cadastrados.
A Strans reabrirá às 7h30 desta seguna-feira com equipe reforçada para cadastrar veículos que, se em condições, já seguem para as ruas imediatamente. Para o cadastro, o dono do veículo deve comparecer com documentação do mesmo e o ônibus, que passará por vistoria e será identificado para sua linha.
Integração prejudicada
A superintendente de Transportes e Trânsito, Alzenir Porto, explicou ao Cidadeverde.com como fica a situação do pagamento de passagem durante a greve dos ônibus. Como a integração das linhas só ocorre com bilhetagem eletrônica, usuários que pagavam apenas R$ 2,10 para usar dois ônibus não terão a mesma opção nos veículos cadastrados nessa situação especial. A greve também prejudica quem usa o cartão de vale transporte. Para estes, o uso do benefício só ocorrerá nos 30% da frota mantidos nas ruas.
Meia passagem garantida
Ao contrário da integração, os direitos garantidos por lei estão mantidos mesmo com a greve. A Strans orienta estudantes que fizerem uso dos veículos extras a apresentarem a carteira de estudante. Só assim, elas terão o direito a pagar meia passagem, no valor de R$ 1,05. Os idosos devem mostrar o cartão eletrônico já usado na bilhetagem eletrônica.
Fonte: Cidadeverde

Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO