Ex-presidente americano Bill Clinton defende a participação do Brasil no Conselho de Segurança da ONU

Matéria publicada em, 27 de março de 2011

Ex-presidente dos EUA participou de fórum sobre sustentabilidade em Manaus (AM)

Bill Clinton no forum no Amazonas

Bill Clinton, 42º presidente dos Estados Unidos, defendeu a participação permanente do Brasil no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) durante a sua participação no 2º Fórum Mundial de Sustentabilidade, que terminou neste sábado em Manaus (AM).

– Apoio um assento permanente no Conselho de Segurança para o Brasil.

Ele acrescentou que Índia e Japão também deveriam ter lugar no grupo.

O Conselho de Segurança da ONU é formado por China, França, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos, além de dez outros países que participam temporariamente e se alternam a cada dois anos. O Brasil é um dos países temporários e fica até o final de 2011.

Outro ponto polêmico apoiado por Clinton é a entrada do etanol brasileiro no mercado americano. Ele acha que o atual presidente de seu país, Barack Obama, deve rever os subsídios dados aos produtores do etanol de milho nos Estados Unidos para deixar mais igualitária a competitividade com demais países produtores, como Brasil e República Dominicana.

Para Clinton, além da questão dos subsídios, o etanol brasileiro é de melhor qualidade que o fabricado nos Estados Unidos. Ele ainda mandou um recado aos presidentes Obama e para a brasileira Dilma Rousseff.

– A recente visita de Obama ao Brasil poderia ter servido também para que fosse discutida a entrada do etanol brasileiro no mercado americano. Vocês produzem etanol de forma mais inteligente que a gente.

Ele lembrou que os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e George W. Bush também assinaram um acordo de biocombustível, mas não deu em nada.

– Espero que agora vocês consigam levar a produção de vocês para a América.

Hidrelétricas

Cliton fez muitos elogios ao país, mas não deixou de tocar em outro ponto polêmico: a construção de hidrelétricas na Amazônia.

– Qual a alternativa? Vocês precisam de eletricidade e querem preservar a floresta. E 20% do oxigênio mundial vem de vocês. Não é fácil, mas vocês têm que pensar sobre essas coisas, sobre o futuro de seus filhos e netos. É preciso pensar na população indígena, nos animais, nas espécies de plantas que podem ter a cura para doenças.

Clinton comprou dois charutos cubanos, da marca ‘Montecristo’, em uma tabacaria dentro do Hotel Tropical, em Manaus, onde acontece o evento. Cada charuto custa R$ 62,00 na loja. Durante a compra, ele foi simpático e brincou com uma das atendentes.


Revista Opinião