Portal Revista Opinião

Estatísticas de acidentes de trânsito em José de Freitas são assustadoras, segundo levantamento do SAMU

Matéria publicada em, 9 de outubro de 2013

A cidade de José de Freitas tem se destacado no noticiário regional, porém por um dado lamentável: o grande número de acidentes de trânsito. Um levantamento foi realizado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – o SAMU de José de Freitas e mostra estes dados.

SAMU de José de  Freitas já atendeu 150 casos envolvendo veículos automotivos entre Jan e Ago deste ano

SAMU de José de Freitas já atendeu 150 casos envolvendo veículos automotivos entre Jan e Ago deste ano

Os dados foram feitos levando em consideração os meses de Janeiro a Agosto deste ano de 2013, e são assustadores. Das 150 ocorrências envolvendo algum veículo automotivo nesses meses, mais de 63% ocorreram na zona urbana, o que mostra que medidas sérias e urgentes devem ser tomadas para conter essa estatística. Sinalização, educação para o trânsito, investimento em infraestrutura das ruas, além, é claro, do tão badalado projeto de Municipalização do Trânsito em José de Freitas.

Acidente ocorrido em julho deste ano no caminho da Barragem

Acidente ocorrido em julho deste ano no caminho da Barragem

O levantamento mostra ainda que as ocorrências não tem relação direta com os períodos festivos na cidade, pois os maiores índices não se deram nos meses de fevereiro e agosto, períodos das festas carnavalesca e dos festejos da padroeira da cidade, respectivamente. Os maiores números de casos de acidentes aconteceram nos meses de março, maio e julho.

Um dado parece muito preocupante: 64% dos acidentes envolvem pessoas na faixa etária dos 13 ao 39 anos, ou seja, a população mais jovem do município. Desses, mais da metade, isto é, 37,33% envolvem jovens entre os 18 e os 29 anos de idade, a população plenamente produtiva na escala do mercado de trabalho.

Chama a atenção ainda, no levantamento feito pelo SAMU local, os casos em que o veículo envolvido é a motocicleta. 78,66% dos casos registrados pelo serviço do SAMU envolviam este tipo de veículo, dados que deixam em alerta os condutores de motos, pois na maioria dos casos, mesmo a culpa não sendo do motoqueiro, ele é quem leva a pior, ficando na maioria dos casos, com sequelas definitivas.

A Coordenadora do SAMU local, a enfermeira Francisca Goiano, faz um apelo à população josedefreitense, que serve para qualquer cidadão condutor de veículos automotivos. Segundo ela, “Diante da complexidade do trânsito em José de Freitas e, levando-se em conta que inúmeros cidadãos, sejam condutores ou pedestres que desconhecem a importância de compreender o Código Brasileiro de Trânsito, surge a necessidade de medidas eficazes e urgentes a fim de educar estes usuários das vias terrestres quanto aos seus devidos “papéis” no trânsito”, diz.

O levantamento não expõe os tipos de consequências causadas por estes acidentes, como sequelas ou óbitos.

Dados levantados pelo SAMU local

Dados levantados pelo SAMU local

Da Redação

 


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO