Portal Revista Opinião

Em duelo de atual contra próximo campeão da Libertadores, Corinthians é superado por reservas do Galo

Matéria publicada em, 14 de julho de 2013

O Corinthians falhou na tentativa de registrar sua primeira sequência de vitórias no Campeonato Brasileiro. A equipe perdeu gols na etapa inicial e foi castigada pelo Atlético-MG, que venceu por 1 a 0 no Pacaembu mesmo poupando quase todos os seus titulares para a decisão da Copa Libertadores.

O time do Parque São Jorge foi superior no primeiro tempo, mas desperdiçou as oportunidades que apareceram — as melhores foram de Romarinho, que jogou bem, mas concluiu mal. O Galo só teve uma, mas Rosinei a aproveitou, deixando os visitantes em vantagem.

Mesmo com a equipe bem, Tite resolveu fazer uma alteração tática, tirando Alexandre Pato da esquerda e deixando-o mais perto de Guerrero. Foi uma escolha ruim, que contribuiu para a etapa final ruim dos donos da casa. As entradas de Paulo Victor e Léo não resolveram.

Corinthians perde para reservas do Atletico

Corinthians perde para reservas do Atletico

Assim, o Corinthians estacionou nos nove pontos, ficou na faixa intermediária da tabela e teve um resultado ruim antes da decisão da Recopa Sul-americana. Agora com dez, o Atlético-MG subiu e ganhou ainda mais moral para brigar pelo título da Libertadores a partir de quarta-feira.

Mesmo sem seus três meias com maior capacidade de organização, o Corinthians não teve, em um primeiro momento, grande dificuldade para criar. Ibson não centralizava as jogadas, mas oferecia uma boa opção caindo pelos lados, sobretudo o esquerdo, onde se entendeu bem com Fábio Santos. Com Romarinho inspirado na outra beirada e Guerrero muito bem como pivô, o Timão impôs seu ritmo.

O jogo

Aproveitando a falta de entrosamento do Atlético-MG escalado por Cuca, o Alvinegro do Parque adotou uma marcação adiantada e criou oportunidades após roubadas de bola. Em pouco mais de dez minutos, Romarinho já havia perdido uma chance, chutando mal após uma linda série de dribles, e Ralf tinha obrigado Victor a trabalhar em chute de fora da área.

O Galo se assentou um pouco em campo, mas seguiu sob domínio dos donos da casa, que desperdiçaram duas jogadas rápidas errando o último passe. A única alternativa dos visitantes era tentar a sorte com Bernard do lado esquerdo. Após algumas tentativas, o atacante evitou Edenílson para cruzar e achar Rosinei entre os zagueiros, na pequena área, no lance que abriu o placar, aos 35 minutos.

Romarinho ainda desperdiçou mais uma oportunidade no primeiro tempo, após passe de Ibson que o deixou na cara do gol. Guerrero falhou na tentativa de iludir a marcação no rebote, mas, mesmo sem o empate, Tite não viu motivos para fazer substituições na equipe no intervalo. Já Cuca pensou na final da Libertadores e trocou Réver, com desconforto na coxa, por Lucas Cândido, recuando Gilberto Silva para a zaga.

Se não houve alteração de nomes, o Timão voltou para a etapa final com uma mexida tática: Pato encostou em Guerrero por dentro, com Ibson e Romarinho abertos. Em menos de dois minutos, duas boas jogadas foram construídas. Em uma, Edenílson cruzou, e Guerrero, sem domínio na pequena área, pediu toque de mão de Michel. Na outra, Pato superou a marcação e bateu para fora da entrada da área.

O Atlético-MG respondeu em novo lance de Bernard, concluído de cabeça por Guilherme, e perdeu Junior Cesar machucado. Entraram Marcos Rocha e Luan, e os visitantes conseguiram controlar o ímpeto do rival — quase marcando o segundo gol, em cabeceio de Rosinei na pequena área.

O Alvinegro do Parque São Jorge caiu em uma inércia que Tite tentou interromper colocando o atacante Paulo Victor no lugar do zagueiro Paulo André, aos 25 minutos. A Fiel também sentiu que o time precisava de força e acordou, mas não adiantou. Houve até vaias no momento em que Pato deu lugar a Léo.

Fonte: Gazeta


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO