Portal Revista Opinião

Eleições do STTR: conheça as propostas e a história de vida do candidato Sitonho

Matéria publicada em, 2 de maio de 2013

Sitonho, candidato pela chapa 2

Sitonho, candidato pela chapa 2

Neste sábado, dia 4 de maio, a partir das 8 horas da manhã, todos os trabalhadores e trabalhadoras rurais de José de Freitas filiados ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de José de Freitas-PI (STTR) irão às urnas para escolherem o novo presidente da entidade para um mandato de quatro anos. A eleição será durante o dia todo na sede da entidade.

Foram registradas este ano apenas duas chapas: uma de situação e outra de oposição. A chapa 1, da situação, tem como candidata a sindicalista Maria da Cruz, atual secretária de Políticas Agrícolas e Produção da entidade. A chapa 2, de oposição, tem à frente o sindicalista Sitonho, que já foi presidente da entidade sindical por dois mandatos.

Hoje iremos conhecer um pouco da história de vida de um dos candidatos, além de suas propostas para o desenvolvimento da entidade.

CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DO CANDIDATO SITONHO

Antônio Pereira da Rocha (SITONHO) é casado, agricultor familiar, natural da localidade Ema, residente e domiciliado na Localidade Viçosa, município de José de Freitas, filiado ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de José de Freitas – STTR, desde 22 de agosto de 1994.

Desde sua filiação no sindicato ganhou destaque em suas intervenções nas assembleias e reuniões dos filiados, sendo eleito presidente do sindicato nas eleições realizadas em 05 de maio de 1995, para o triênio 1995 – 1998 e reeleito para o quadriênio 1998 – 2002. Foi eleito secretário de políticas agrárias para o quadriênio 2002/2006, realizando grandes ações, destacando o assentamento Novo Horizonte.

No primeiro mandato, recebeu o sindicato passando por grandes dificuldades necessitando de ações urgentes da diretoria. O primeiro desafio foi regularizar a situação trabalhista de dois funcionários da entidade que custou mais de 13 mil reais naquela época. Enfrentou o problema e pagou tudo em dias conforme as leis trabalhistas.

Com as ações da diretoria o sindicato ganhou confiança dos trabalhadores e em fevereiro de 1996, comprou um veículo modelo pampa para agilizar os trabalhos do sindicato. Ganhou destaque no Movimento Sindical dos Trabalhadores Rurais do Estado do Piauí. Vale ressaltar que naquela época dos três sindicatos do Piauí com transportes, José de Freitas era um deles. (Barras – Fusca, Batalha – D10 e José de Freitas – Pampa ano 1989).

O trabalho da diretoria ganhou respaldo da FETAG-PI e serviu de referência para o crescimento de muitos outros sindicatos da região. O STTR de Miguel Alves, por exemplo, cresceu após um trabalho do SITONHO na região quando surgiram novas lideranças sindicais comprometidas, como o atual presidente popular “Maribondo” e outros, que mudaram a história daquele sindicato que continua crescendo.

A luta pela reforma agrária foi à bandeira principal durante o mandato do SITONHO, que em pouco tempo, organizou e criou os assentamentos: São Francisco, São Domingos, São José e Mocambo.

Outro fator importante na administração do SITONHO foi à transparência com os recursos do sindicato. As Assembleias de Prestações de Contas eram casa cheia e com quorum suficiente em primeira convocação. Todos os diretores tomavam conhecimento dos recursos da entidade e toda sexta-feira nas reuniões da diretoria o tesoureiro informava o valor em caixa e das contas bancárias.

A presença do sindicato nas comunidades era diuturna e todos os dias da semana. Nenhuma associação ficou desassistida em suas reuniões em finais de semana, feriados ou dia santo.

As ações ganharam respaldo no MSTTR e em fevereiro de 1999, SITONHO foi eleito diretor suplente da FETAG, assumindo a executiva no período de maio a outubro de 2000, desenvolvendo grandes ações na questão agrária em outros sindicatos do Estado do Piauí.

Dentre outros importantes trabalhos desenvolvidos por SITONHO no MSTTR do Piauí, destaca-se a coordenação do Pólo Sindical de Teresina, composto por 15 sindicatos que trabalhavam sob sua orientação e coordenação política.

Como candidato a presidente assume o compromisso de resgatar a confiança dos trabalhadores e trabalhadoras rurais e administrar com transparência, compromisso, ética e respeito aos trabalhadores e trabalhadoras rurais.

PROPOSTAS DA CHAPA 2 – SITONHO PRESIDENTE

  • Adquirir um transporte para o sindicato no primeiro semestre do mandato;
  • Valorizar e dar oportunidade a todos os membros efetivos e suplentes da diretoria;
  • Manter a presença do sindicato nas comunidades, realizando encontros e reuniões;
  • Festejar o dia 13 de agosto, noite dos lavradores, aposentados, criadores e outros nos festejos da padroeira Nossa Senhora do Livramento, mobilizando todas as comunidades rurais do município;
  • Ampliar o número de agricultores na compra de milho da CONAB sem cobrar fretes e taxas;
  • Realizar capacitação dos agricultores sobre o uso de fertilizantes, agrotóxicos e outros;
  • Criar departamento para cuidar dos projetos de habitação rural;
  • Fazer convênios com: Fabrica de óculos e clinica odontológica para atender os filiados;
  • Fazer parceria com Escola Agrotécnica para auxiliar os agricultores familiares;
  • Atender os trabalhadores todos os dias e o dia todo;
  • Não será liberada nenhuma mulher da diretoria executiva para fazer pães nos dias e horário de expediente do sindicato, salvo se descontado de seu vencimento como diretora do sindicato;
  • Fazer parceria com as associações para organizar os processos de benefícios previdenciários, diminuindo gastos e viagens perdidas dos trabalhadores até o sindicato;
  • Resolver administrativamente os benefícios negados pelo INSS;
  • Não aceitar nenhum tipo de “propina” por parte de advogados;
  • Cadastrar todos os trabalhadores rurais no Regime Geral da Previdência Social;
  • Capacitar todos os diretores e representantes de núcleos para oferecer um atendimento com educação e agilidade para os filiados durante todo mandato;
  • Elaborar manual do trabalhador rural orientando todos seus direitos, deveres e exigências para acessar os benefícios previdenciário, agrícola, sociais e outros;
  • Realizar curso itinerante de informática para o meio rural;
  • Aplicar os recursos do sindicato exclusivamente a serviço da categoria;
  • Fazer prestação de contas de forma transparente e conforme estatuto social;
  • Ampliar o número de agricultores para comercializar produtos através do PNAE;
  • Fazer parceria com as cooperativas e ampliar a produção agrícola, pecuária, fruticultura;
  • Adquirir espaço para comercialização permanente dos produtos da agricultura familiar;
  • Criar comissão para administrar os trabalhos do trator;
  • Acompanhar e solucionar todos os conflitos agrários existente no município;
  • Realizar diagnóstico dos assentamentos e melhorar as condições de vida dos assentados;
  • Ampliar os projetos das mulheres produtoras rurais, priorizando as mulheres que não tenha renda;
  • Constituir o coletivo municipal de mulheres trabalhadoras rurais, fortalecendo suas ações;
  • Constituir o coletivo municipal de jovens trabalhadores (as) rurais, formando novas lideranças;
  • Promover campeonato entre os jovens rurais do município;
  • Fazer diagnóstico sobre as necessidades e expectativas dos jovens rurais;
  • Constituir o coletivo dos trabalhadores e trabalhadoras rurais da terceira idade, diagnosticando suas necessidades e priorizando ações que atenda suas reivindicações;
  • Fazer parceria com ministério público, polícia e poder público municipal para a proteção aos idosos;
  • Acompanhar o cumprimento do acordo coletivo, respeitando os outros sindicatos;
  • Elaborar calendário de acompanhamento dos assalariados no campo da COMVAP e fazendas.

COMPOSIÇÃO DA CHAPA:

Chapa 2

Chapa 2

VICE-PRESIDENTE E SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS 

Efetivo – ELISA SOARES DE LIMA CUNHA

Suplente – ROSÉLIA RODRIGUES DE ARAÚJO 

SECRETARIA  GERAL,  FORMAÇÃO  E  ORGANIZAÇÃO  SINDICAL

Efetivo – MARIA DO AMPARO ALVES DE ALMEIDA

Suplente – ROSILENE PEREIRA DA SILVA SANTOS 

SECRETARIA  DE  FINANÇAS  E  ADMINISTRAÇÃO

Efetivo – MARIA ALDORA LOPES DA SILVA

Suplente – FRANCISCO CUNHA LOPES

SECRETARIA DE POLÍTICAS AGRÁRIA E MEIO AMBIENTE 

Efetivo – JOÃO BATISTA DA CRUZ OLIVEIRA

Suplente – INÁCIO SOARES DE OLIVEIRA

SECRETARIA DE ASSALARIADOS E ASSALARIADAS RURAIS

Efetivo – ANTÔNIO JOSÉ PINHEIRO DA ROCHA

Suplente – JOÃO OLIVEIRA DOS SANTOS

SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA E PRODUÇÃO

Efetivo – JOSÉ DE JESUS PEREIRA DA ROCHA

Suplente – FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA LIMA 

SECRETARIA DE MULHERES TRABALHADORAS RURAIS

Efetivo – MARIA DORALICE SOARES DA SILVA SOUSA

Suplente – TERESA DO CARMO NUNES DA ROCHA

SECRETARIA DE JOVENS TRABALHADORES E TRABALHADORAS RURAIS

Efetivo – VALDETE PEREIRA DE ARAÚJO

Suplente – JULIANA ROCHA DOS SANTOS

SECRETARIA DE TRABALHADORES E TRABALHADORAS RURAIS DA 3ª IDADE

Efetivo – JOÃO BRASIL DA SILVA

Suplente – FRANCISCO TÔRRES DE MIRANDA

CONSELHO FISCAL – EFETIVOS

1º.  TERESINHA CAMPOS DE CARVALHO

2º.  PEDRO DO NASCIMENTO LOPES

3º.  MACLOVIA MARIA GIULIANA

CONSELHO FISCAL – SUPLENTES

1º.  JOSÉ DE RIBAMAR ALVES DOS SANTOS

2º.  MARIA DA ASSUNÇÃO FERREIRA DE MACÊDO

4º.  JOAQUINA ELVES DE OLIVEIRA LIMA

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO