Educação em José de Freitas faz manifestação e ameaça entrar em greve

Matéria publicada em, 17 de março de 2011

O Sindicato dos Servidores Municipais de José de Freitas realizou na manhã desta quarta-feira (16), uma manifestação no centro da cidade reivindicando a implementação do Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS) dos Servidores da Educação, o pagamento do piso nacional do salário do professores, o pagamento da ajuda de custo sem atraso e reajuste extraordinário do salário dos vigias. Caso as reivindicações não sejam atendidas os servidores ameaçam paralisar as atividades.

Foto: Portal Em Dia

Os servidores da educação se concentraram na sede do Sindicato dos Servidores Municipais (Sismujof), e saíram em caminhada pelas principais ruas e fizeram protestos na frente da Secretaria Municipal de Educação. Em seguida, deslocaram-se para a frente da prefeitura.

A manifestação contou com o apoio da CUT. O presidente do sindicado, Ronaldo Oliveira liderou o protesto seguido por dezenas de servidores. A reclamação do sindicato é que até agora o prefeito não quis negociar com a categoria.

A melhoria na qualidade da educação passa por melhores condições de trabalho de todos os envolvidos no processo, principalmente a questão salarial, que hoje é uma miséria. E em José de Freitas, as reivindicações dos servidores vêm desde o pleito anterior, onde várias paralisações aconteceram e nenhuma surtiu efeito positivo, pois nesta cidade, como em muitas no Brasil afora, os gestores pouco se importam com a questão educacional.

“Deveríamos ter uma lei que obrigasse os gestores, em qualquer esfera, a matricular seus filhos em escolas públicas”, desabafou a professora Maria do Livramento.

Foto: Portal Em Dia

 

Foto: Portal Em Dia

Revista Opinião