Portal Revista Opinião

Depois da saída de Georgiane, radialista faz comentário preconceituoso contra mulheres em cargos de delegada

Matéria publicada em, 30 de agosto de 2013

Durante a presentação do programa de rádio “Bom Dia José de Freitas”, em uma rádio local, na manhã da última quinta-feira (29/08), o radialista Arimateia Ferreira deixou claro sua posição de discriminação contra mulheres que exercem cargos de delegada.

Radialista apresenta programa diário em rádio comunitária em José de Freitas

Radialista apresenta programa diário em rádio comunitária em José de Freitas

O radialista disse que a profissão de delegado não deveria ser ocupada por mulheres, apenas por homens. O radialista disse: “Vamos ser bem sincero, não discriminando as mulheres, mas esse cargo de delegada é caso mais pra homem, viu. Não quero aqui discriminar as mulheres não, viu.”

Ele foi interrompido por sua companheira do programa, Andrea Ferreira, que citou os nomes das delegadas Vilma Alves e Lenita como exemplos de competentes profissionais.

O radialista continuou: “Mas são poucas mulheres que se destacam nessa profissão, nesse trabalho. Imaginou, uma delegada com um revólver na cintura, subindo serra, descendo serra, atrás do bandido? Uma mulher de vestido com revólver na cintura, né? Eu sei que a delegada Vilma é uma grande delegada, mas é uma profissão, no meu entendimento, não sendo machista, tá certo? Mas eu particularmente creio que é uma profissão que é mais dedicada ao homem….”

O radialista teceu seu ponto de vista preconceituoso, quando falava sobre a saída da delegada Georgiane Karine da delegacia de José de Freitas, que depois de dois anos titular do 17º DP, foi substituída nesta quarta feira, assumindo em seu lugar o delegado Walter Junior.

A investidura no cargo

Como todos os demais cargos efetivos do serviço público, o ingresso é feito mediante concurso público (art. 37, inciso II, da Constituição Federal. É exigido também que o candidato seja bacharel em direito (art. 3° da Lei 12.380/13). Portanto, desde 1988, ficaram os governos estaduais impedidos de efetuarem nomeações políticas sem concurso público nas Polícias Judiciárias. O concurso é aberto a todo brasileiro ou brasileira, desde que obedeça os critérios estabelecidos.

São atribuições do delegado de polícia, dentre outras previstas em Lei:

  • Zelar pela legalidade e adequação aos requisitos legais de todos os atos praticados pela Polícia Judiciária;
  • Lavratura de autos de prisão em flagrante e de termos circunstanciados;
  • Presidir inquéritos policiais, conduzindo os rumos das investigações e formalmente elaborando portarias, despachos interlocutórios, relatórios finais de inquéritos e de termos circunstanciados;
  • Cumprir e determinar o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão;
  • Elaborar relatórios, bem como representar pela decretação judicial de prisões cautelares (temporárias e preventivas);
  • Representar pela expedição de mandados de busca e apreensão;

Da Redação


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO