Corpo de Dom Inocêncio é exumado no PI para processo de canonização

Matéria publicada em, 3 de fevereiro de 2017

Uma equipe especial do Vaticano realizou a exumação dos restos mortais de Dom Inocêncio Lopez Santamaria que estavam no interior da Igreja Catedral, em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí. A exumação faz parte do processo de beatificação de canonização do religioso que morreu em 1959.

“Encontramos o anel e o solidéu de certa forma conservados. Agora está sendo feito um procedimento para que esses ossos sejam colocados numa urna” disse o Frei Rogério, informando ainda que o corpo foi retirado da sepultura nessa quarta-feira (1º).

Ainda nesta semana serão coletados os testemunhos de pessoas que tenham recebido bênçãos de Dom Inocêncio. “Teremos a coleta de testemunhos. A partir de amanhã, sexta-feira, as pessoas podem se dirigir ao Centro Diocesano, para dar testemunho, o que viu e ouviu sobre Dom Inocêncio” disse Frei Rogério.

Após a conclusão dessa etapa, a comissão histórica começará a agir, realizando pesquisas e estudos para levantar todos os dados biográficos e históricos, para desenvolver um documento em que constará todo processo que será enviada para o Vaticano. “O processo deve durar aproximadamente dois anos e meio, quando será fechado e enviado” declarou o Frei Rogério Soares.

Ainda como parte do processo de beatificação e canonização, no próximo dia 7 de fevereiro será celebrada uma missa às 19h30 na Igreja Catedral de São Raimundo Nonato, com a exposição da urna com os restos mortais de Dom Inocêncio.

História
Inocêncio López Santamaria nasceu na aldeia de Sotovellanos, na província de Burgos, comarca de Odra-Pisuerga, na Espanha, no dia 28 de dezembro no ano de 1874. O religioso ingressou na Ordem das Mercês no Convento de Conjo, em Santiago de Compostela.

Dom Inocêncio desembarcou ao Brasil, no estado do Rio de Janeiro, no dia 5 de janeiro de 1931. O religioso chegou a São Raimundo Nonato, no dia 18 de janeiro do mesmo ano e tomou posse no dia 22.

Dom Inocêncio pode se tornar o primeiro santo do Piauí. No fim do ano passado foi instalado o Tribunal Eclesiástico para a Causa de Beatificação e Canonização do religioso, que foi o terceiro bispo prelado da então Prelazia Bom Jesus do Gurgueia, hoje Diocese de São Raimundo Nonato.

Fonte: G1


Revista Opinião