Portal Revista Opinião

Consumidor brasileiro está menos preocupado com meio ambiente, diz pesquisa

Matéria publicada em, 13 de junho de 2011

O consumidor brasileiro está menos consciente das questões ambientais do que há alguns anos, segundo uma pesquisa da Fecomércio-RJ (Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro) em parceria com a Ipsos.

De acordo com o levantamento, divulgado nesta segunda-feira (13), a parcela de brasileiros que mantêm hábitos que levam em consideração a preservação do meio ambiente recuou de 65% em 2007 para 57% este ano.

Em 2007, quando a pesquisa começou a ser realizada, 27% dos entrevistados verificavam se os produtos adquiridos eram geneticamente modificados ou transgênicos. Jé em 2011, esta parcela passou para 20%.

Além disso, o levantamento também revela que, em 2007, 76% das pessoas conferiam os armários e a geladeira antes de fazer compras para evitar desperdícios, número que caiu para 72% este ano.

Falta de cuidado com a saúde

Além da falta de educação ambiental, a pesquisa mostra que um quarto das pessoas (25%) não verifica a data de validade do produto comprado, ante 22% apurados pela pesquisa de 2007. Na pesquisa anterior, 78% dos entrevistados checavam se a embalagem do produto estava danificada. Hoje, esse percentual é de 72%.

Para o superintendente de Economia e Pesquisas da Fecomércio-RJ, João Carlos Gomes, os resultados da pesquisa apontam que, em geral, as atitudes mais sintonizadas ao consumo consciente estão relacionadas à economia no “bolso”.

“A construção de uma consciência verdadeiramente ecológica ainda se revela como um desafio ao país. Ao mesmo tempo em que 57% dos brasileiros afirmam que seus hábitos levam em consideração a preservação do meio ambiente, apenas 30% dizem verificar se um produto é ecologicamente correto”, explicou.

Faixa etária

De acordo com o levantamento, os idosos se preocupam mais em ter hábitos mais benéficos para o meio ambiente: enquanto 81% dos jovens afirmam fechar a torneira enquanto escovam os dentes, entre os idosos, este percentual chega a 91%.

A prática de separar o lixo para reciclagem também é maior entre os idosos: 54% das pessoas acima de 60 anos separam o lixo, ante 37% dos jovens.

Além disso, os idosos também se preocupam mais com a renovação da vegetação, já que 41% revelaram plantar árvores ou cuidar de jardins, contra 31% dos jovens.

Sexo e classe social

Segundo a pesquisa, as mulheres mantêm hábitos mais ecológicos do que os homens: 90% apagam a luz ao deixar o local em que estavam, contra 86% dos homens. Ao escovar os dentes, 88% das mulheres fecham a torneira. Entre os homens, este número cai para 84%.

Já quando o assunto é classe social, 39% dos brasileiros das classes A e B afirmam consumir produtos com menor impacto ambiental, contra 25% e 19% das classes C e DE, respectivamente.

Fonte: msn


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO