Portal Revista Opinião

Brasil decepciona mais uma vez, joga mal e escapa de vexame no fim contra o Paraguai

Matéria publicada em, 9 de julho de 2011

Neymar teve atuação apagada na etapa inicial. Seleção teve dificuldades (Foto: Agência Reuters)

Ia dando tudo errado. A zaga entregou dois gols, Neymar não produziu nada e Pato falhou sempre que teve a bola nos pés. Mano também não ajudava, sacando Jadson, autor do primeiro gol brasileiro, no intervalo, para a entrada de Elano. O Brasil ia muito mal, merecia perder, mas achou um gol com Fred aos 44 minutos do segundo tempo, e evitou uma derrota para o Paraguai, neste sábado, em Córdoba. No fim, o empate em 2 a 2 acabou sendo digno de comemoração pelo futebol que apresentou o time brasileiro.

O resultado coloca o Brasil na liderança do grupo, exatamente empatado com o Paraguai, ambos com dois pontos. Equador e Venezuela jogam logo mais e, quem vencer, assume a ponta. A seleção brasileira fecha o Grupo B na quarta, às 21h50, contra o Equador. O Paraguai pega ainda a Venezuela.

O jogo. Mano Menezes surpreendeu ao escalar Jadson no lugar de Robinho. Com isso, tinha a intenção de aproximar as peças ofensivas da equipe. No jogo contra a Venezuela, o treinador entendeu que o Neymar e Robinho jogaram muito abertos, distantes de Pato. Com dois meias armadores – Jadson e Ganso -, ele pretendia dar mais liberdade para Neymar e, assim, criar mais chances de gols.

Na prática, porém, não foi isso que aconteceu. Jadson foi o espelho de Neymar, jogando aperto pela direita, enquanto o santista caía única e exclusivamente pela esquerda. O time só melhorou em relação à primeira partida porque Ganso parecia mais solto, mais à vontade no time.

Nos primeiros minutos, o Paraguai foi melhor. Logo com 20 segundos, Estigarribia chegou ao ataque pela esquerda, bateu cruzado e Julio Cesar pegou. Com 2 minutos, Barrios tocou para Santa Cruz nas costas de Thiago Silva e o atacante, cara a cara com Julio Cesar, mandou por cima, ampliando seu longo jejum de gols.

Depois, ainda que o Paraguai continuasse disposto a atacar, não assustou mais Julio Cesar. O Brasil chegou com mais perigo. Aos 11, Thiago Silva lançou Pato nas costas da zaga, mas o atacante não conseguiu o domínio. Sete minutos depois, Pato recebeu de Jadson, saiu na cara de Villar, mas não conseguiu o drible, bateu travado e permitiu a defesa do goleiro paraguaio.

O jogo voltou a cair de produção e só teve novas emoções aos 38, quando saiu o gol do Brasil. A jogada começou com Ramires, mas foi interrompida pelo corte da defesa paraguaia. Depois, a bola caiu nos pés de Ganso, que tocou para Jadson. O jogador do Shakhtar Donetsk bateu da entrada da área, no canto direito de Villar, e abriu o placar.

Apesar de ter criado as duas únicas boas jogadas do Brasil no jogo, Jadson deixou o campo no intervalo, substituído por Elano. A alteração de Mano não melhorou o time. E o gol do Paraguai saiu exatamente em um erro de marcação do santista. Estigarribia desceu pela esquerda e cruzou rasteiro. Thiago Silva errou o bote e deixou Santa Cruz de cara com Julio Cesar. Chance de ouro para o atacante bater no campo, empatar o jogo e afastar a má fase. Ele não marcava um gol em jogos oficiais desde 21 de março de 2010.

Lucas já estava à beira do campo, esperando para entrar no lugar de Ganso, quando o meia achou Neymar livre na direita da área. O atacante do Santos tinha a opção do chute ou Pato livre na área. Preferiu o drible desnecessário em Villar e desperdiçou a chance do segundo. O Paraguai não. No contra-ataque, Daniel Alves, com a bola dominada, deu bobeira na área e permitiu o bote de Riveros. Ele tocou para Santa Cruz, que rolou para a chegada de Valdez pelo meio. O paraguaio bateu prensado com Lúcio e a bola voltou para o seu peito, indo depois para o fundo das redes.

Mano mudou a alteração. Ao invés de sair Ganso, tirou Ramires e voltou à formação que iniciou o jogo. Neymar, principal estrela do Brasil, porém, seguida apagado. Nas poucas vezes que pegava na bola, era individualista demais. Tanto que, depois, foi substituído por Fred, deixando o campo sem nenhuma jogada que justificasse qualquer transferência para os grandes do futebol europeu.

Assim como contra a Venezuela, o Brasil não produziu nada no segundo tempo. Até os 44 minutos, o único lance digno de uma seleção pentacampeã do mundo havia sido uma falta batida por Elano, defendida por Villar. A derrota era o resultado mais merecido, mas, a um minuto do fim, Fred recebeu de Ganso na entrada da área, girou, bateu no canto, e empatou.

BRASIL – 2 – Julio Cesar; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires (Lucas), Paulo Henrique Ganso e Jadson (Elano); Neymar (Fred) e Alexandre Pato. – Mano Menezes.

PARAGUAI – 2 – Villar; Verón, Da Silva, Alcaraz e Torres; Vera, Ortigoza, Riveros (Cáceres) e Estigarribia (Martínez); Roque Santa Cruz e Lucas Barrios (Valdez). – Gerardo Martino.

Gols – Jadson, aos 38 minutos do primeiro tempo; Roque Santa Cruz, aos 9, e Valdez, aos 21, e Fred, aos 44 minutos do segundo tempo. Árbitro – Wilmar Rodán (Colômbia). Cartões amarelos – Jadson, Pato, Lucas Leiva, Cáceres e Lucas Barrios. Renda e público – Não disponíveis. Local – Mario Alberto Kempes, em Córdoba (Argentina).

Veja fotos da partida:

O goleiro Júlio Cesar, do Brasil, orienta sua barreira durante o primeiro tempo contra o Paraguai (Reuters)

Pato recebe lançamento livre, tenta driblar o goleiro, mas Villar consegue evitar o gol do Brasil (Reuters)

Jadson, que começou a partida como titular, chuta de fora da área e acerta o canto direito de Villar, marcando um belo gol (Reuters)

Jogadores da seleção comemoram o gol contra o Paraguai, o primeiro do Brasil na atual edição da Copa América (Reuters)

Em falha da defesa do Brasil, Roque Santa Cruz aparece livre na cara de Júlio César e toca para empatar a partida (Reuters)

André Santos, que falhou no gol de empate, passa pela festa dos jogadores do Paraguai (Reuters)

Depois de nova bobeira da zaga brasileira, Valdez apareceu livre no meio da área para virar o jogo (Reuters)

Pato e Neymar no centro de campo sentem o segundo gol do Paraguai. Dupla foi muito mal, criou pouco e desperdiçou oportunidades (Reuters)

Já no fim, aos 44min do segundo tempo, Fred, que entrou no lugar de Neymar, recebeu passe de Ganso e empatou o jogo (Reuters)

Fonte: estadão


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO