Portal Revista Opinião

Artigo: A crise ética e moral por que passa a política em nosso estado

Matéria publicada em, 30 de abril de 2012

O Piauí nunca foi exemplo de boas e dinâmicas administrações públicas, por isso a condição que sempre teve de estar entre os piores estados em índice de desenvolvimento econômico-social do país, mas para quem tem um pouco de entendimento, é fato que o estado passa por um de seus piores momentos político-administrativos de sua história, com as piores representações políticas que se tem notícia nos últimos tempos.

Na atual crise ética e moral que o estado enfrenta, o fato de políticos tradicionais serem condenados por órgãos judiciais colegiados a devolver dinheiro ou a perda de seus mandatos, virou sinônimo de injustiça ou perseguição. Ao passo que aumentou o acesso aos meios de comunicação, tornou-se, também, mais fácil manipular as grandes massas em razão da educação deficiente que é dada ao povo, que forma o cidadão conformista, acrítico, pronto para ser passivo e aceitar as piores aberrações possíveis em se tratando de política, e não aquele ciente de seus deveres e direitos.

Wellington Dias fingido dar aula para os políticos do Piauí

 

Primeiro dia de aula e o Joãozinho pergunta para a professora: “professora o que é política?” A Professora sem saber o que responder e com frágil formação política desconversa: “sei não Joãozinho, isso é besteira, nós não estamos falando disso agora não…!” Pronto! Está cometido um dos maiores erros na formação de um cidadão e, consequentemente, de uma sociedade consciente, digna de primeiro mundo.

Diante da fragilidade do sistema educacional na formação de verdadeiros cidadãos, ficou fácil forjar-se, com a ajuda de uma imprensa farta de patrocínios públicos, uma realidade que valoriza o mau-caratismo e a desonestidades em detrimento do verdadeiro piauiense, povo honesto e trabalhador, onde os desmandos e atos desonestos ocorrem a olhos vistos, e os cidadãos aceitam e acham tudo normal.

Nesse contexto atual, onde o Estado extravia os valores democráticos teoricamente consignados ao povo brasileiro, boa parte da imprensa, que deveria formar opiniões e ajudar a sociedade a se desenvolver e enfrentar a crise político-institucional que vigora, tornou-se mais um algoz do povo, formando opiniões deturpadas e forjando falsas realidades, bancada, em boa parte, com o dinheiro público.

Contudo, ao cidadão, restam as redes sociais para manifestar suas ideias e protestos e se indignar com o caos que se instalou na estrutura administrativa do Estado. Estas, muitas vezes são mais seguras e confiáveis do que muitos meios de comunicação, que apenas servem como assessorias de governos e não como meios de informação. Nesse sentido as redes sociais se sobressaem por expressar exatamente as visões, ideias, vontades, desejos e sentimentos do povo.

Agora veja a última que ganhou coro de protesto nas redes sociais. Um ato demagógico e debochativo de algumas autoridades políticas do nosso estado, duvidando do discernimento e da inteligência do povo: http://www.180graus.com/bastidores/piada-pronta-wdias-finge-dar-aula-para-wilsao-e-atila-em-inauguracao-de-escola-520045.html

Por Edgar Gonçalves Saraiva


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO