Após demissão de Dunga, CBF espera anunciar Tite ainda nesta noite

Matéria publicada em, 15 de junho de 2016

A CBF está muito confiante de que, na noite desta quarta-feira, poderá enfim anunciar oficialmente a contratação de Tite para o comando da seleção brasileira. Com a definição em relação à comissão técnica para a Olimpíada, com Rogério Micale à frente, a entidade não tem mais a mesma urgência em anunciar o sucessor de Dunga. Um dos que participam da tomada de decisões foi claro ao ser indagado se a confirmação de fato sairia nesta quarta: “Expectativa, sim.”

Tite
Tite

A impressão de quem participou da longa reunião – cerca de três horas – na noite de terça-feira foi de que a conversa foi praticamente definitiva, embora assuntos como salário não tenham sido abordados – ao que tudo indica, isso não será um entrave. Pessoas próximas a Tite, bem como figurões da CBF, dão como certo o desfecho positivo. Mas o técnico do Corinthians tem o seu próprio “timing”, como disse um cartola da entidade ouvido pela reportagem.

A substituição de Gilmar Rinaldi também não foi tratada no encontro, mas este mesmo dirigente afirmou que a contratação de Edu Gaspar, com quem Tite já tem afinidade, “seria um desdobramento natural, até para adoçar”. O nome agrada à CBF e deve entrar em pauta logo após o esperado “sim” do treinador.

Durante o dia, Tite ainda deve fazer contato com pessoas próximas, dirigentes do Corinthians, além de tomar conhecimento de detalhes contratuais que foram deixados de lado na primeira conversa.  A cúpula da CBF aguarda um novo contato no fim do dia.

Demissão de Dunga

Dunga foi demitido nesta terça-feira, 14 de junho, depois de uma reunião na sede da CBF com Marco Polo del Nero. Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções, também esteve presente e igualmente deixou seu cargo. O anúncio foi feito através do site oficial da entidade. A gota d’água para a saída foi a derrota para o Peru e a consequente eliminação da Copa América Centenário ainda na primeira fase da competição.

A derrota para o Peru pela Copa América Centenária, que eliminou a Seleção Brasileira da competição, deu sequência aos maus resultados obtidos pelo ex-capitão da Seleção desde que assumiu após a Copa de 2014:  queda nas quartas de final da Copa América de 2015 e atual sexto colocado nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo na Rússia, em 2018. No último torneio, o grupo canarinho conseguiu fazer gol apenas no Haiti (vitória de 7 a 1 no segundo jogo). A Seleção não era eliminada na primeira fase da Copa América desde 1987.

Dunga deixou o cargo sem falar com a imprensa, e apenas Gilmar encarou os microfones após a CBF anunciar a decisão pela troca do comando técnico da Seleção. Ele afirmou que seguirá trabalhando até quinta ou sexta-feira e aproveitou para informar que está perto de conseguir a liberação do jogador Douglas Costa para atuar nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. Apesar de dizer que se sente feliz pelo que pôde realizar, reconheceu a tristeza pela saída antes do fim do ciclo de trabalho.

Reestruturação da seleção

Depois da saída de Dunga nesta terça, a CBF deve mesmo anunciar Tite como o novo técnico da seleção brasileira ainda nesta quarta. No entanto, para o comentarista esportivo do canal SporTv, Maurício Noriega, mais importante que o nome do próximo treinador é reestruturar a organização do futebol no país. Na sua opinião, o projeto não pode ter como objetivo apenas classificar a equipe para a Copa do Mundo de 2018.

– Não acredito que seja o único nome. Temos um grupo de treinadores brasileiros perfeitamente apto, sem falar nos estrangeiros. A questão não é se o treinador é um brasileiro ou um estrangeiro. É o que ele vai fazer, qual é o projeto. Ele vai assumir de forma emergencial, para classificar o Brasil para a Copa do Mundo da Rússia? Ou vai fazer um contrato de cinco, 10 anos, para uma reformulação completa do futebol brasileiro, assumindo também as categorias de base e criar uma escola nacional de futebol? – disse o comentarista.

Da Redação                              Fonte: G1


Revista Opinião