Portal Revista Opinião

Ao assumir governo, Wellington Dias decreta urgência administrativa em oito secretarias

Matéria publicada em, 2 de janeiro de 2015

Logo após tomar posse e receber a faixa de governador do Piauí, Wellington Dias PT) decretou urgência administrativa em cinco importantes áreas da administração estadual: abastecimento de água, saúde, segurança e justiça, administração e educação). Os decretos têm validade de 90 dias e foram assinados com base no relatório final da equipe de transição do petista.

WD

Para decretar urgência administrativa na área de segurança e justiça, Wellington Dias resolveu intervir nas secretarias de Segurança e Justiça, além da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. O petista se justificou destacando que o índice de criminalidade atingiu níveis inaceitáveis e que o setor de combate à violência e o sistema prisional precisam de intervenções urgentes.

Na Agespisa, Wellington Dias levou em consideração a situação de calamidade em que se encontra o serviço público de abastecimento de água e tratamento de esgoto.

Na Saúde, Wellington Dias justificou a medida depois de constatar calamidade decorrente da falta de equipamentos médicos, medicamentos, material de limpeza e infraestrutura sucateada.

A intervenção na Secretaria de Administração foi motivada pela situação de irregularidade existente nas contratações de servidores.

Por fim, a Secretaria de Educação entrou em urgência administrativa devido a situação de calamidade em que se encontram as escolas integrantes do sistema de educação do Estado do Piauí, em especial no que se refere à infraestrututra e recursos humanos.

Wellington Dias também assinou um decreto criando uma junta para resolver a crise na Previdência Social do Estado. Esse grupo de trabalho será comandado pela vice-governadora Margarete Coelho (PP).

“O grupo ainda não se reuniu, mas o governador já anunciou a composição. Nós ainda não traçamos uma estratégia de trabalho, mas temos que começar pelos dados reais da previdência”, destacou a progressista.

Da Redação                                    Fonte: cidadeverde


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO