Portal Revista Opinião

Acidente de jet ski com duas mortes na Barragem do Bezerro é citado no Fantástico

Matéria publicada em, 5 de janeiro de 2014

As equipes do Fantástico percorreram praias e represas do Brasil para denunciar como é fácil alugar moto aquática e pilotar o equipamento sem habilitação no país. A prática é ilegal, feita no jeitinho, pra fugir da fiscalização. E expõe todo mundo ao perigo – quem pilota e, principalmente, quem está na água, só pra curtir o verão.

É lei: só pode pilotar uma moto aquática quem fez aulas, passou nas provas e conseguiu a habilitação. Mas, em algumas praias, se você pagar, não precisa de nada disso.

Em fevereiro de 2012 – Grazielly, de 3 anos, foi atropelada e morta por uma embarcação dessas, no litoral paulista. “O tempo vai passando, a gente sente que realmente você perdeu a pessoa que você mais amava”, disse o pai Gilson Almeida da Silva.

Hoje, as autoridades dizem que ficou mais difícil tirar a habilitação, que as provas estão mais rigorosas. Só que as equipes do Fantástico constataram que a imprudência continua. Menores de 18 anos não podem pilotar, mas pilotam. E criança não deve ficar no banco da frente, alerta a Capitania dos Portos. “A criança, mesmo que esteja um maior pilotando, não pode ir no primeiro assento”, destaca o capitão Marcelo Ribeiro de Souza da Capitania dos Portos- SP.

Empresário Alexandre Silva, 26 anos, e a estudante Luísa Neves, de 16, mortos na Barragem do Bezerro no mês passado

Empresário Alexandre Silva, 26 anos, e a estudante Luísa Neves, de 16, mortos na Barragem do Bezerro no mês passado

O uso do colete salva-vidas é obrigatório, mas o empresário Alexandre Silva, 26 anos, e a estudante Luísa Neves, de 16, não usavam colete. E ela não sabia nadar. Os dois morreram afogados mês passado, na Barragem do Bezerro, em José de Freitas, a cerca de 40 quilômetros de Teresina, Piauí. O caso repercutiu muito na cidade à época.

Arte exibida na reportagem do fantástico deste domingo, 05/01/14

Arte exibida na reportagem do Fantástico deste domingo, 05/01/14

Há uma semana, em outra barragem, em Guadalupe, também no Piauí, as vítimas foram o empresário Tony Marcos, 34 anos, e o sobrinho dele, Samuel, de 2. Um menino de 6 anos sobreviveu. Segundo a Capitania dos Portos, o empresário não tinha habilitação e estava sem colete.

“Eu perguntei comigo mesmo: será que esse rapaz não vai diminuir a velocidade?”. Quando chegou perto dos garranchos, ele virou bruscamente pra direita, do nada”, conta o soldador Israel Ferreira dos Santos, testemunha do acidente. Tony perdeu o controle e bateu numa árvore. “Uma morte de um filho é o mesmo que uma facada. Não tem coisa pior no mundo”, disse Neusa Damasceno Pereira.

As motos aquáticas só podem fazer manobras arrojadas quando estão a pelo menos 200 metros da beira d’água. Mas na Barragem do Bezerro todos os finais de semana, principalmente aos domingos, pode se ver o desrespeito à lei. Banhistas e jet skis dividem o mesmo ambiente e não há nenhuma fiscalização.

“Qualquer pessoa pode alugar uma máquina dessas em Teresina e vir para José de Freitas. Dirigir, então, nem se fala, todo mundo pode. É fácil, basta pagar!”, disse um guardador de moto aquática na Barragem do Bezerro que não quis se identificar.

Da Redação                                               Fonte:  Fantástico/G1


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO