70% dos pacientes que dão entrada no HUT são vítimas do trânsito

Matéria publicada em, 25 de setembro de 2013

As emergências dos hospitais ficam lotadas diariamente por conta do grande número de acidentes de  trânsito. Os casos que envolvem motos estão sendo tratados como problema de saúde pública. Nos hospitais públicos do Piauí o que não falta é gente em  busca de atendimento.

Mais de 70% dos pacientes que dão entrada no HUT sofreram um acidente. A maioria apresenta traumatismo craniano. Logo o Piauí possui um percentual acima da média mundial.

samu

“No mundo o percentual de vítimas como traumatismo craniano é de 11 %, no Brasil este índice chega a 18% e no Piauí a taxa de é 69%. Como podemos ver há um resultado discrepante. E a principal causa deste resultado é a associação de álcool com a direção. Esta é uma associação mortal”, afirma o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque.

Antônio Umbelina Sousa saiu da cidade de de Elesbão Veloso em  busca de tratamento em Teresina. Segundo ele, no município o número de acidentes também é constante. “Muitos moradores em Elesbão Veloso usam a motocicleta como meio de transporte e muitos sofrem acidentes”, disse a moradora.

A  direção do Hospital de Urgência de Teresina analisou as estatísticas de acidentes de trânsito e chegou a seguinte conclusão: o  número de vítimas diminuem quando ocorre fiscalização da polícia pelas ruas da cidade.

Dados da Companhia Independente de trânsito revelam que no primeiro semestre de 2013, cerca de 1.803 acidentes de trânsito aconteceram nos primeiros meses do ano, deste  727 deixaram vítimas, cerca de 840 pessoas ficaram feridas e 30 mortas. O estudo também aponta o perfil da vítimas a maioria são do sexo masculino entre 30 e 59 anos.

Especialistas alertam para  uma mudança de comportamento principalmente para quem conduz veículos. Na semana passada, um motorista supostamente alcoolizado atropelou dois pedestres na Avenida Raul Lopes, Zona Leste da capital. O caso deixou muita gente que pratica esporte no local assustada.

“Eu não uso esta faixa, mas acredito que se ela foi criada para os ciclistas que ela seja usada por quem pratica o esporte”, disse a estudante Lana Viviane Carvalho.

Após o acidente a Strans reforçou a segurança no local e estuda medidas para pedestres e ciclistas. O supervisor da Strans Paulinho Silva, afirmou que os retornos serão todos fechados com  o  objetivo de dar mais segurança  para as pessoas que estão fazendo caminhada.

Para  o sociólogo Eduardo Biavati, não é preciso apenas conscientizar a população, é preciso que as vias de trânsito tenham estrutura para evitar acidentes.

Fonte: G1


Revista Opinião
ESPORTES
ENTRETENIMENTO